Centro da Pessoa Idosa leva esporte, arte e cultura aos pessoenses

Por - em 1216

“Aqui a gente sente mais alegria de viver.” É o que diz Violette Ghislaine, 81 anos, moradora de Mangabeira VIII, sobre o Clube da Pessoa Idosa (CPI) – do qual é frequentadora assídua há dois anos. Inscrita nas aulas de ginástica gerontológica e artesanato, Violette contou que conheceu o local por meio de uma amiga da filha e se encantou pela estrutura e as atividades oferecidas. “Vim conhecer e achei uma maravilha. É ótimo. Chamo esse lugar de refúgio”, disse.

No Clube há quase quatro anos, Gercina Félix da Silva, 67 anos, moradora do Altiplano, conheceu o espaço quando ainda morava no município de Sapé. Dois anos depois, já com residência fixa em João Pessoa, começou a frequentar o local, participando da Oficina de Artesanato, das aulas de hidroginástica, danças circulares, yoga e teatro. “Mudou minha vida. O teatro, por exemplo, me deixou mais expansiva. Eu era tímida e introvertida, mas hoje tenho muitos amigos”, relatou.

Violette e Gercina são duas das 366 pessoas da terceira idade que participam da programação diária do CPI, pensada para promover o bem-estar e a qualidade de vida de 10,2% dos habitantes do município com idade acima de 60 anos, segundo o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Centro é mantido pelo Instituto de Previdência do Município de João Pessoa (IPM) e se localiza no bairro Altiplano.

Atividades – Atualmente, o CPI disponibiliza mais de 20 oficinas e atividades, nos turnos da manhã e tarde, sempre de segunda a sábado. “Gosto de vir pra cá. Venho pela manhã e também à tarde”, contou Arnaldo Carneiro da Cunha, 68 anos, morador do Altiplano, que, depois de passar por um acidente, começou a fazer psicoterapia e Oficina da Memória no local.

Entre as atividades e oficinas, destacam-se alongamento, oficina de artesanato, ginástica gerontológica e hidroginástica – são as mais procuradas. Mas o CPI ainda dispõe de reike/reflexologia, yoga, danças circulares, oficina de memória, teatro, psicoterapia, natação, cursos de informática, dança de salão, biodança, oficina de plantas medicinais, dinâmica de grupo, além de iniciação teatral popular experimental e arte culinária. Somados a essas atividades, é também oferecida assistência médica multidisciplinar, com o apoio de fisioterapeutas, nutricionistas e enfermeiros.

Inscrições – Segundo o coordenador do CPI, Thiago Ferreira, a procura por inscrições é grande. No ato da matrícula, o idoso seve apresentar atestado cardiológico e foto 3×4. Para fazer hidroginástica, além do exame cardiológico, é exigido atestado dermatológico. Para as mulheres também é pedido exame citológico e, para os homens, o de urina. Informações pelo telefone 3252-1604.

De acordo com ele, todo idoso que chega lá é acolhido e passa por uma triagem. Com os exames solicitados em mãos, ele é inscrito e vai para a enfermaria, onde uma enfermeira verifica a sua pressão arterial, para que ele possa iniciar as atividades. “A pessoa escolhe a atividade que quer, e não há limite”, detalhou. O idoso pode frequentar o CPI de segunda a sábado. Durante as atividades, o Clube serve lanches. “Não servimos almoço, só chá ou café, pois cada um tem uma dieta diferenciada”, explicou.

Para os que moram no Centro da Cidade, o IPM disponibiliza um ônibus para o deslocamento até o CPI (esse mesmo veículo é usado para fazer passeios com a turma). Diariamente, o coletivo faz uma viagem Centro-Altiplano, durante a manhã, e Altiplano-Centro, ao término das oficinas.

No Centro, o ponto de saída do ônibus é a sede do IPM, que fica na Rua Engenheiro Clodoaldo Gouveia, 166. Os telefones de contato são 3218-9831/ 3218-9832

Equipe – Com uma equipe composta por 21 pessoas, sendo algumas delas de secretarias municipais e autarquias da PMJP, o Clube da Pessoa Idosa também conta com voluntários. Uma delas é a professora voluntária da Oficina de Artesanato Maria Margarida dos Santos Nóbrega, 63 anos, moradora do Bairro dos Ipês, ela começou no CPI como aluna e hoje orienta as amigas. “Como eu ajudava muito as professoras e entendia rápido o que elas ensinavam, veio o convite. Hoje, sou professora voluntária de artesanato e aluna do curso de teatro”, contou.

Sobre o interesse e a assiduidade da turma, Maria Margarida disse que todos gostam de ir para o Centro, pois se divertem muito. “Achamos ruim porque não tem artesanato todo dia”, revelou.

Centro de Convivência – Além do Clube da Pessoa Idosa, o IPM ainda disponibiliza o Centro de Convivência do Idoso, que funciona em um anexo na sede do Instituto, no Centro. No local, são desenvolvidas duas atividades responsáveis pelo bem-estar mental dos idosos: a Bandinha Alvorada e o coral.

Papi – Incluído na atenção básica, o Programa de Atenção a Pessoa Idosa (Papi), realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), é mais um serviço da PMJP voltado para o idoso. O programa beneficia atualmente 2.753 pessoas, com idade a partir dos 60 anos, com atividades físicas, de lazer e artesanato, além de passeios e acompanhamento médico e socioassistenciais, por meio dos 54 Grupos de Convivência nas comunidades.

“Nosso objetivo é promover a inclusão social dos idosos na família e na comunidade, visando à melhoria da qualidade de vida dessas pessoas”, disse a coordenadora do Papi, Nilsonete Gonçalves.

Atuando com uma equipe multidisciplinar, os Grupos de Convivência estão ligados aos oito Centros de Referência a Assistência Social (Cras) – portas de entrada da assistência social. Neles, os idosos e seus familiares têm acesso a serviços, programas, projetos e benefícios de proteção social básica, oferecidos pela PMJP. Os grupos também desempenham trabalhos para a geração de emprego e renda e oficinas que orientam sobre qualidade de vida e envelhecimento saudável.

De acordo com Nilsonete, o trabalho é intersetorial. Há Grupos de Convivência no Centro de Atenção Integral à Saúde do Idoso (Caisi), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), e no Clube da Pessoa Idosa. Para participar, é preciso ter idade mínima de 60 anos. “Quem quiser fazer parte de um dos grupos basta procurar o mais próximo de sua comunidade”, disse.

O Papi funciona na sede do Programa Bolsa Família, na Rua D. Pedro I, 849, (em frente à sede da 2º Delegacia Distrital), Centro. Informações pelo telefone 3021-5680.

Caisi – Para cuidar da saúde da população idosa, a PMJP conta com o Caisi, da SMS. O local oferece atendimento ambulatorial especializado, aliado a espaços de convivência.

Segundo a diretora geral do Centro, Norma Queiroz, diariamente, o Caisi, que funciona em um anexo no Hospital Santa Isabel, localizado no bairro de Tambiá, atende entre 80 e 100 idosos, de todos os bairros da Capital, em 16 especialidades médicas.

Para ser atendido no Caisi, que é uma unidade de média complexidade, o idoso deve procurar a Unidade de Saúde da Família (USF) mais próxima de sua casa. Lá, ele vai ter atendimento com a equipe médica, que, ao detectar a necessidade, faz o encaminhamento. Com a consulta marcada pela USF, o paciente vai ao Caisi no dia agendado, para que o médico solicite os exames complementares. “Após a realização dos exames, o retorno é marcado aqui mesmo”, explicou Norma. Segundo ela, depois de controlada a necessidade que motivou a ida do usuário ao Caisi, o idoso retorna à USF, para ser acompanhado.

Além do atendimento ambulatorial, o Centro mantém grupos, em parceria com a Sedes e Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), que promovem o envelhecimento saudável e também trabalham com prevenção. São três grupos de Memória, dois de Convivência (parceria Sedes), dois de Escola de Postura, um de Educação Física (parceria Sedes) e um grupo de flauta, um de yoga e um de produção de vídeo (parceria coma Funjope).

 

Grupos oferecidos no Caisi

Escola de Posturas

Yoga

Produção de Vídeo

Flauta

Atividade Física

Convivência

Estimulação da Memória

Apoio aos Cuidadores

 

Especialidades oferecidas no Caisi

Angiologia

Atenção Farmacêutica

Cardiologia

Endocrinologia

Enfermagem

Fisioterapia

Gastroenterologia

Geriatria

Ginecologia

Nefrologia

Nutrição

Odontologia

Psicologia

Reumatologia

Serviço Social

Fonoaudiologia

 

Sesc – Na Capital paraibana, além da PMJP, o Serviço Social do Comércio (Sesc-PB) também promove atividades para a terceira idade. Por meio do Trabalho Social com Idosos (TSI), o Sesc desenvolve ações educacionais, culturais e sociais, além de serviços voltados para a saúde. Diariamente, o grupo realiza atividades variadas, que estimulam o intelecto e o físico. Danças, oficinas, teatro e passeios permitem maior integração entre os participantes, além de novos conhecimentos, que ajudam na autonomia e na autoestima.

Apenas na cidade de João Pessoa, o Sesc auxilia mais de 800 idosos em ações sociais e educativas. As unidades do interior também promovem reuniões de continuidade, e os participantes realizam trabalhos manuais, como fabricação de caixas para presente, arranjos com materiais reciclados e biscuit, entre outros.

Os interessados em participar do TSI e desfrutar de todas as atividades que o setor realiza com os idosos precisam ter, no mínimo, 60 anos. As inscrições são efetuadas nas unidades do Sesc, mediante apresentação de documentos de identificação, como RG e CPF, foto 3×4, comprovante de residência e a carteirinha do Sesc. Os idosos que não possuem a carteira podem fazer o cadastro, mas, após a inscrição, eles devem adquiri-la, para que possam usufruir dos benefícios da instituição por valores mais baixos.