Centro de Reabilitação comemora aniversário com histórias de superação

Por - em 42

Em comemoração aos dez anos de atividade, o Centro de Reabilitação de Dependentes Químicos (CRDQ), mantido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), realizou uma celebração na manhã desta terça-feira (1º) no Centro Cultural São Francisco (CCSF) e abriu uma exposição de artes. Conforme o diretor do CRDQ, padre Leônidas Silva, todo o trabalho desenvolvido no centro é para que os usuários “aprendam a administrar suas vidas”.

Durante a celebração, ele agradeceu o trabalho e o apoio da PMJP, por meio da Sead e da Secretaria de Saúde, e a dedicação de todos que fazem o CRDQ. “Nós trabalhamos com uma média de 17 pessoas durante o tratamento. Eles passam o dia no centro, das 7h às 17h, e desenvolvem atividades de autoajuda, com acompanhamento psicológico em terapias individuais e em grupo, e oficinas de artes”, explicou o padre.

Às sextas-feiras as atividades são no Centro de Atenção Psicossocial (Caps) do Rangel. “Lá eles têm atendimento psiquiátrico e recebem encaminhamento para realização de exames”, continuou. A diretora de Recursos Humanos (RH) da Secretaria de Administração (Sead), Lílian Coelho, afirmou que o trabalho desenvolvido no centro possibilita a ressocialização do servidor, que fica afastado de suas funções durante o tratamento.

Um deles é o servidor João Albino. Ele se recupera da dependência em álcool e drogas ilícitas e há dois anos voltou a trabalhar na Secretaria de Desenvolvimento. “Este problema é de difícil aceitação e nós sofremos de ansiedade e alteração de humor nas crises de abstinência, mas estou retomando minha vida, adotei um filho que também passava por este problema e quero viver com liberdade e alegria. Tudo eu coloco nas mãos de Deus”, declarou João Albino, que fez um discurso de agradecimento ao tratamento recebido no CRDQ.

A equipe da CRDQ é formada pela psicóloga Kaline Pereira e assistente social Fátima Gonçalves. “Mas temos uma voluntária de alfabetização, a Elizete Maria, e o Dadá Venceslau, que ministra todas as aulas de artes”, afirmou Leônidas Silva.

Percepção – A diretora de RH da Sead, Lílian Coelho, alertou os chefes de setores da PMJP que prestem atenção nos servidores de forma a perceber a necessidade de tratamento em dependência química. “Este é um problema que não é fácil de assumir e muita gente não pede ajuda. Mas este tratamento existe há dez anos e os companheiros de trabalho podem ser útil neste primeiro diagnóstico”, ressaltou ela.

Conforme Lílian Coelho, o servidor que quiser tratamento deve solicitar ao seu chefe imediato que emita um ofício ao setor de RH da Sead ou ao próprio CRDQ. A partir daí é feita uma triagem por meio de diagnóstico psicossocial.

“O tratamento dura, em média, um ano e, neste período, o servidor fica afastado para se tratar. Mas os familiares também são incluídos nesse processo e passam por acompanhamento psicológico, já que todos são impactados por este problema”, frisou a diretora. Após o tratamento o usuário permanece participando de sessões semanais na instituição.

Exposição – A exposição dos usuários do CRDQ foi aberta nesta terça-feira (1º) e já encantou as crianças de escolas que visitam o Centro Cultural São Francisco. A estudante de oito anos, Ana Júlia, disse que visitou o local pela primeira vez e que gostou das mistura de cores das peças. “Está tudo muito lindo”, falou ela. As peças expostas no hall de exposições do CCSF são baseadas na natureza e na religião.

O responsável por todo o trabalho criativo é Dadá Venceslau. Ele ensina artes plásticas no centro há dois anos e meio e esta foi a primeira exposição montada pelos usuários. “Eu ensinei as técnicas de pintura, perspectiva e como desenhar paisagem. O restante é mérito deles. Começamos trabalhando com barro e papel machê e percebi que eles foram se desenvolvendo muito bem. Conseguimos revelar talentos”, destacou ele.

As comemorações aos dez anos do CRDQ continuam na próxima terça-feira (8) com a abertura oficial feita pelo prefeito Luciano Agra e a secretária de Administração, Laura Farias, às 9h, no auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM).

Programação

9h30 – Palestra sobre prevenção ao uso de drogas com o coronel da Polícia Militar, Kelson Chaves

10h30 – Apresentação musical dos usuários do CRDQ

10h50 – Pronunciamento da diretora de Recursos Humanos da Sead, Lílian Coelho, e do diretor do CRDQ, padre Leônidas Silva

11h – Apresentação da equipe técnica e das ações desenvolvidas pelo CRDQ

11h30 – Coquetel de encerramento