Centro Histórico de JP pode virar Patrimônio Nacional nesta quinta

Por - em 28

A reunião que vai decidir sobre o tombamento do Centro Histórico de João Pessoa, transformando-o em Patrimônio Nacional, acontece a partir das 9h (horário de Brasília-DF) desta quinta-feira (6), no Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro (RJ). O processo referente à Capital será apreciado às14h30. A expectativa é que o resultado seja divulgado por volta das 18h. O prefeito Ricardo Coutinho (PSB) está na capital carioca e vai acompanhar pessoalmente a reunião.

A decisão será tomada durante encontro conselho anual do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O colegiado é composto de 18 membros da sociedade civil, com notórios saberes em patrimônio e de áreas afins, e ainda um representante do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), outro do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e um do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios Históricos (Icomos).

Além do conjunto arquitetônico da Capital paraibana, serão votados também os processos de tombamento de 24 obras de Oscar Niemeyer, sendo 23 monumentos de Brasília escolhidos pelo próprio arquiteto, e ainda a Casa das Canoas, na Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro, projetada para o arquiteto morar; e a paisagem cultural de imigração de Santa Catarina, que abrange 59 imóveis e dois núcleos históricos remanescentes das ocupações alemã, italiana, polonesa e ucraniana na região.

Processo – Trinta e sete hectares do Centro Histórico de João Pessoa, que incluem cerca de 700 edificações, serão considerados no processo de tombamento. A proposta surgiu em 2002, através de solicitação da Associação Centro Histórico Vivo (Achervo). O pedido foi remetido ao Ministério da Cultura e encaminhado à Superintendência Regional do Iphan. Depois de algumas reformulações no projeto inicial, a solicitação foi analisada e agora será discutida e votada durante a reunião do Conselho do Instituto.

A Capital da Paraíba é a terceira Capital mais antiga do País, e por isso tem na sua estrutura todos os estilos de arquitetura, indo desde o barroco até os casarões em art décor. Entre as edificações da cidade também é possível encontrar a influência das quatro ordens religiosas – carmelita, jesuíta, beneditina e franciscana.