Chagas Fernandes e Meire Lima são as atrações do Sabadinho Bom

Por - em 167

chagas_fernandes_foto_sabadinhobomSamba, frevo e música regional darão o tom da edição do projeto Sabadinho Bom deste sábado (31), na Praça Rio Branco, a partir das 11h30. Tamanha diversidade de ritmos ficará por conta da responsabilidade dos músicos Chagas Fernandes e Meire Lima. A realização do projeto é da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio de sua Fundação Cultural (Funjope).

Nas apresentações do cantor, ele anima o público com performances nas composições de Zequinha Abreu, Waldir Azevedo, João Pernambuco, Toquinho, Luiz Gonzaga, Tom Jobim e muitos outros. Ao longo da trajetória profissional do violonista Chagas Fernandes, há uma série de trabalhos instrumentais, voltados à música brasileira. O resultado disso são cinco CDs e um DVD gravados.

Chagas Fernandes é cearense de Mauriti, mas radicado em João Pessoa há cerca de 30 anos. Ele concluiu o bacharelado em Música pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), sendo instrumentista há 20 anos. Atualmente, é professor de Música da Estação Musical – Curso de Música, de sua propriedade. Também participou do Seminário do Violão Nordeste, com os professores Henrique Pinto (SP) e Thomas Parteson, da Universidade do Arizona.

Meire Lima – Meire Lima promete prosseguir o Sabadinho Bom com um repertório formado por sambas, frevos e muito suingue. Os sambas escolhidos pela intérprete ganharão uma roupagem de samba de roda, a exemplo de “Reconvexo” (Caetano Veloso), “Revolta Olodum” (José Olissan/Domingos Sérgio) e “Lenda das Sereias” (Vicente/Dionel/Veloso).Meire Lima

Com o suingue da bossa e do samba, Meire Lima apresentará canções conhecidas do grande público, a exemplo de “A Rita” e “Sem Compromisso” (ambas de Chico Buarque), “Insensatez” e “Chega de Saudade” (ambas de Tom Jobim/Vinícius de Moraes). Natural de Itabaiana, Meire Lima mora em João Pessoa há 30 anos e canta há 14. Trabalha com as tradições nordestinas, como o forró, desde 2002.