Cidadania e direitos humanos em pauta na Conferência GLBT

Por - em 21

Discutir a cidadania e propor políticas públicas que garantam os direitos humanos de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais (GLBT). Este é o principal objetivo da 1ª Conferência Municipal GLBT, que teve inicio na manhã deste sábado (26), no auditório 411 do Centro de Ciências Humanas, letras e Artes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e segue até à tarde do domingo (27). O evento é uma oportunidade para a sociedade civil e governo municipal apontarem propostas específicas para esta categoria.

Na mesa de abertura, a Secretária de Transparência Pública, Estelizabel Bezerra, resgatou a importância das conferências e apontou o compromisso que a gestão tem na construção de uma cidade mais respeitosa e não discriminatória. “As conferências são espaços democráticos e importantes, pois apontam políticas que fortalecem o Estado e consolida a cidadania”, destacou a secretária.

Estiveram presentes à abertura dos trabalhos o secretário de Desenvolvimento Social, Alexandre Urquiza; o secretário de Turismo, Elzário Júnior; a secretária de Políticas públicas para as Mulheres, Douraci Vieira; a vereadora Paula Frassinete; Lúcia Guerra, representante da Reitoria da UFPB e Luciano Bezerra, Fernanda Bevenutti e Adneuse Targino, todos do movimento GLBT, “Essa luta é de todas as pessoas, pois uma sociedade que respeita os homossexuais é bem mais igualitária”, afirmou Fernanda Bevenutti.

No período da manhã, a professora do Departamento de Serviço Social da UFPB e especialista em Direitos Humanos, Nazaré Zenaide, proferiu a conferência sobre o tema do evento, que é “Direitos humanos e políticas públicas: O caminho para garantir a cidadania de gays, lésbicas, travestis e transexuais”. Esse tema segue a linha do evento nacional, que será a primeira conferência do mundo realizada exclusivamente para discutir a temática GLBT.

À tarde, aconteceram os trabalhos em grupos, onde os mais de 200 inscritos puderam optar pelas seguintes temáticas: Educação, Saúde, Turismo e Cultura, Justiça e Direitos Humanos e Trabalho e Geração de Renda. “É momento também de formação, pensar no futuro, propondo políticas para que nossas conquistas sejam concretas”, enfatizou o presidente do Movimento do Espírito Lilás (MEL) e um dos organizadores da Conferência, Luciano Bezerra.

A Conferência Municipal é uma das prévias da I Conferência Nacional GLBT, a ser realizada em Brasília nos dias 6 e 8 de junho, no Centro de Eventos Brasil 21.

Para Simone Cavalcante, representante da Assessoria da Diversidade Humana da Sedes e uma das coordenadoras do evento, políticas públicas inclusivas e direitos humanos são questões que precisam ser encaradas pelo Poder Público. “É imprescindível que os governos e a sociedade civil se engajem nessa proposta de construção de uma sociedade mais justa e igualitária para todos e todas, onde a inclusão da população GLBT faz-se extremamente necessária”, lembrou.