Ciência moderna é tema de palestra na Estação Cabo Branco, neste sábado

Por - em 39

‘Ciência moderna: aspectos históricos e filosóficos do fazer científico’ é o tema da palestra que será realizada neste sábado (11) na sala de audiovisuais da Estação Cabo Branco, a partir das 15h30. O palestrante é o professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), que é doutor em História Social, Raimundo Barroso Cordeiro Junior. A atividade faz parte do programa de difusão e popularização do conhecimento científico ‘Ciências aos Sábados’, que acontece quinzenalmente. A entrada é franca para todos os públicos.

De acordo com o professor Raimundo Barroso, a história da ciência é como uma viagem a um labirinto: complexa e fascinante. “Na vastidão de caminhos do conhecimento humano sobre a natureza, às vezes nos perdemos numa trilha que a história apagou. Mas logo vem o deslumbramento com essa rota traçada por aqueles que enxergaram e construíram o mundo de maneira diferente da nossa”. Em sua apresentação, o professor Barroso irá abordar a história da revolução científica desde o século XVI; história da ciência como disciplina científica de orientação à prática dos cientistas; o ensino da história da ciência para crianças e jovens e a história da ciência como instrumento de divulgação da ciência com produto cultural de fácil acesso e compreensão.

Para o professor Barroso, hoje se tem uma história da ciência complexa, com metodologia e procedimentos próprios, que inclui de maneira harmoniosa, variados conhecimentos advindos das mais diversas áreas. Ela é a interface com as demais ciências. “Dessa maneira, a história da ciência é um campo singular de pesquisa, com vida própria, e ao mesmo tempo, em constante diálogo com as diferentes áreas, abrindo o leque desses conhecimentos e levando-nos à possibilidade de recuperar e acompanhar a construção e o desenrolar do conhecimento produzido pela cultura humana. Seria uma das maneiras de se ensinar e entender a formação do mundo cultural em que vivemos, as inúmeras concepções sobre a natureza, o ser humano e os recursos técnicos da atualidade”, enfatizou.

Barroso destacou que a aplicação para o ensino e para a pesquisa científica é preponderante, mas a história da ciência tem outras finalidades para as diversas áreas do conhecimento. Ela também procura desmistificar o elitismo da ciência e a distância entre o público e as teorias científicas, tornando mais próxima da coletividade. Acredito que a história da ciência vem contribuir para o ensino, a pesquisa e a formação dos estudantes de uma maneira mais ampla e com significado, tornando-se um campo com formas alternativas de pensamento e multidisciplinar.

Raimundo Barroso Cordeiro Junior é doutor em História Social pela Universidade Estadual de Campinas, tendo concluído sua tese sobre o historiador francês Lucien Febvre em 2000. Atualmente, é professor associado da UFPB, professor permanente do Programa de Pós-Graduação em História (Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes) e professor colaborador e vice-coordenador do Programa de Pós-Graduação em Geografia (Centro de Ciências Exatas e da Natureza) da UFPB. É autor de vários artigos em livros entre outros periódicos e orientador de inúmeros trabalhos acadêmicos. Atua na área de História, com ênfase em Historiografia Francesa.

O programa ‘Ciências aos Sábados’ da Estação Cabo Branco – Ciência Cultura e Artes é realizado quinzenalmente, através palestras, conferências, exibições de filmes, peças teatrais, debates, mesas redondas, workshops, entre outros. A Estação Cabo Branco Funciona de terça-feira a domingo, no horário das 9h às 17h, e aos sábados e domingos das 10h às 18h. As visitações de escolas de João Pessoa e do interior do Estado e de outros grupos e segmentos são feitas por agendamento. Mais informações podem ser obtidas através do telefone 8860.0678.