Cineasta Moira Toledo abre projeto de oficinas da Funjope

Por - em 55

A abertura da edição 2012 do projeto “Oficinas Culturais nos Bairros” aconteceu na tarde desta segunda-feira (2), com a palestra da educadora, pesquisadora e especialista em cinema Moira Toledo. Durante o evento, que aconteceu no auditório do Centro de Capacitação de Professores Luiz Alberto Coutinho (Cecapro), a convidada falou sobre o aspecto pedagógico da Sétima Arte.

“Fiquei muito feliz pelo convite. É importante o poder público reconhecer que a cultura tem papel de transformação social”, disse. Para a educadora, ensinar arte é deixar de ser objeto de cultura e ser sujeito. “Trabalhar o que é importante na oficina é não se preocupar tanto em formar artistas, mas ajudar ao aluno a ser mais ativo, algo que esta além da técnica”, completou.

As aulas com os 100 oficineiros começam nesta terça-feira (3), em 70 entidades espalhadas por vários bairros da Capital. A expectativa é de que pelo menos 1,1 mil pessoas participem. O projeto é uma realização da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Durante a palestra, Moira ressaltou que o aprendizado audiovisual é uma disciplina multirrelacional. Ou seja, essa linguagem integra vários aspectos (como o musical, o visual, o espacial e o corporal), além de lingüística, matemática e física. Assim, é possível trabalhar com diversos problemas de convivência em grupo. A partir dessa visão, a especialista circula pelo território nacional ministrando oficinas de alfabetização audiovisual.

A assessora pedagógica da Funjope, Edileide Godói, que coordena o projeto, disse que as oficinas agregam valores e partilham saberes. “Moira foi escolhida para abrir o projeto 2012 porque é uma educadora e cineasta que faz o envolvimento entre a educação e a arte”, disse. De acordo com ela, a cultura não pode ser confundida com eventos isolados – e por isso esse projeto é uma forma de democratizar a diversidade cultural.

A palestrante desenvolve metodologias que visam facilitar o trabalho de educadores interessados em utilizar o cinema em sala de aula. Atualmente, é mantenedora do acervo cinematográfico Kinooicos, que conta com mais de 300 vídeos realizados em oficinas culturais.

Cem oficinas – Na segunda quinzena de maio, a Funjope divulgou a relação das 100 propostas selecionadas pelo edital do projeto “Oficinas Culturais nos Bairros”. Ao todo, cerca de 300 proponentes participaram do processo.

O projeto contempla espaços comunitários em diferentes localidades de João Pessoa. As áreas disponibilizadas em edital incluem artes visuais, dança, audiovisual, música, artes cênicas, cultura popular, literatura, comunicação e culinária, entre outros segmentos. O acesso ao serviço pela população é gratuito e contempla todas as faixas etárias. As aulas vão acontecer de julho a dezembro deste ano. Todos os oficineiros serão remunerados.