PlanMob João Pessoa - Plano Diretor de Mobilidade Urbana

Cinema paraibano também é uma das atrações do Estação Nordeste

Por - em 83

O cinema também estará presente do projeto ‘Estação Nordeste’ de 2011. As exibições vão acontecer sempre nas quintas-feiras durante este mês de janeiro, em frente ao Busto de Tamandaré, a partir das 19h. Já nesta quinta (6), o público poderá assistir a dois filmes – “Família Vidal”, do paraibano Diego Benevides, e “Paraíba, Meu Amor”, do suíço Bernand Robert-Charrue. A entrada é franca e a realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

“Família Vidal, de Diego Benevides” é um documentário pessoense, realizado 2009, com 15 minutos de duração. A história relata o retrato de uma família circense a partir de suas experiências vividas em seu mundo particular. De cidade em cidade, de um bairro a outro, os membros itinerantes esquecidos conseguem mostrar uma legítima prova de amor e doação ao circo brasileiro.

A segunda exibição será de “Paraíba, Meu Amor”. O filme suíço foi lançado em 2008 e tem 74 minutos de duração. Trata-se de uma espécie de raio-x do forró, que é um genuíno ritmo nordestino. A obra passeia pelos diversos lugares típicos do estilo musical, tanto nas festas no interior e nos cabarés, como nos grandes palcos de Campina Grande. Na Rainha da Borborema, o cenário é o Parque do Povo, no período das festas juninas, com um púbico de 50 mil espectadores.

Confira o restante da programação do Cinema na Estação:

06/01
-“Família Vidal”, de Diego Benevides (doc, João Pessoa, 2009, cor, 15 min)
-“Paraíba, Meu Amor”, Bernand Robert-Charrue (doc, Suiça, 2008, cor, 74 min)

13/01
– “Água Barrenta”, de Tiago Penna (fic, João Pessoa, 2010, cor, 15 min)
– “Fábio Fabuloso”, Pedro Cezar, Ricardo Bocão e Antonio Ricardo (doc, Brasil, 2004, cor, 70 min)

20/01
– “O Contador de Filmes”, de Elinaldo Rodrigues (Doc, 35mm, 15min, 2010)
– “O Homem que Engarrafava Nuvens”, de Lirio Ferreira (doc, Brasil, 2008, cor, 71 min)

27/01
– “Depois da Curva”, de Helton Paulino (ficção, Campina Grande, 2009, cor, 18 min)
– “Cinema, Aspirinas e Urubus”, de Marcelo Gomes (ficção, Brasil, 2005, cor, 96 min)