Cinturão Verde capacita equipe sobre tecnologias alternativas de produção

Por - em 44

Técnicos e agricultores ligados ao Programa Cinturão Verde, do Governo Municipal, visitaram, na última terça-feira (14), o Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta), localizado em Glória do Goiatá, a 60 km de Recife, capital pernambucana. Lá observaram o acervo de tecnologias desenvolvidas ou adaptadas ao longo dos 15 anos de existência da instituição. A viagem faz parte da programação de capacitação a ser desenvolvida pelo primeiro programa de apoio a agricultura familiar de João Pessoa ao longo de 2008.

De acordo com Roberto Vital, coordenador do Programa Cinturão Verde, a viagem ao Serta será seqüenciada com o treinamento em ‘Capacitação Imersa’, a ser realizado no período de 21 a 25 deste mês, fornecendo todo conteúdo pedagógico que será utilizado na construção e difusão do conhecimento entre os agricultores atendidos pelo Cinturão Verde.

Além de Vital, participaram também da comitiva a coordenadora de Projetos Especiais do Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba (Cefet-PB), bióloga Tânia Andrade, e o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de João Pessoa, o técnico agrícola Demas Joaquim. “A programação de implantação das unidades demonstrativas e a feira itinerante com ônibus especialmente adaptado, elementos-base do convênio com o Ministério do Desenvolvimento Social, cujos recursos já estão disponibilizados, seguirá à risca esta metodologia de capacitação”, explicou Roberto Vital.

O Cinturão Verde foi implantado há dois anos na Zona Rural de João Pessoa pelo Governo Municipal e já está produzindo 10% do que é consumido na Capital. “Isso é muita coisa, principalmente se levarmos em consideração que há dois anos ‘não existia’ zona rural em João Pessoa”, enfatiza Raimundo Nunes, secretário do Desenvolvimento Sustentável da Produção (Sedesp).

Feiras – O que é produzido pelos agricultores inscritos no Projeto Cinturão Verde é comercializado em feiras agroecológicas espalhadas pela cidade. Além do Mercado Público do Valentina Figueiredo, onde acontece todos os sábados e domingos, a feira também é realizada na Praça da Paz, no Bancários, todas as sextas-feiras, a partir das 6h da manhã.

Para facilitar a comercialização, os agricultores se organizaram em cooperativa. “Vamos levar nossos hortifrutigranjeiros produzidos sem agrotóxicos com preços que vão agradar aos consumidores do bairro e da região”, diz Walter Joaquim de Sousa, presidente da Cooperativa dos Produtores Agroecológicos de João Pessoa (Prohort-JP).

Requisito – Para integrar a cooperativa é preciso que 60% da renda do pequeno produtor venham da agricultura. “Fazemos isso para beneficiar apenas quem é realmente pequeno agricultor”, explicou o coordenador do Cinturão Verde. Na cooperativa, os agricultores trabalham a recepção, o acondicionamento, como devem ser feitas a embalagem, as vendas ou distribuição aos fornecedores. Tudo isso monitorado por agentes credenciados pela Divisão de Circulação e Produção Agrícola, da Sedesp.

O incentivo aos agricultores vem do Cinturão Verde, implantado há dois anos como parte das ações do Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios (Empreender-JP). Durante esse período, mais de R$ 807 mil foram concedidos através de empréstimos a 150 agricultores cadastrados. O Cinturão é o primeiro programa de apoio à agricultura familiar da Capital. O dinheiro foi aplicado na compra de animais e no incremento à produção de gêneros alimentícios orgânicos.