Cinturão Verde participará do combate à fome mundial

Por - em 29

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP), numa iniciativa de sua Secretaria de Desenvolvimento Sustentável da Produção (Sedesp), encaminha na próxima segunda-feira (16), a proposta de inclusão do Cinturão Verde em um programa mundial de combate à fome e de preservação ambiental. O projeto, que está sob a coordenação da fundação norte-americana Fiorello LaGuardia, prevê investimentos de 3 milhões de euros (R$ 7,8 milhões) na região polarizada por João Pessoa e nos municípios de Porto de Pedra (Alagoas), La Pintana (Chile) e Milão (Itália).

“É um projeto inovador porque trata da produção de alimentos orgânicos dentro de um conglomerado urbano”, explica o diretor-presidente da Fundação Fiorello LaGuardia, Patrick D’Addario. “João Pessoa tem a fórmula correta para produzir alimentos sem agredir a natureza e ainda trabalhar a inclusão social”, acrescenta.

Apoio – O dirigente da Fiorello LaGuardia saiu de Nova Iorque e veio a João Pessoa coordenar a elaboração da proposta que está em fase de conclusão. Ele conta com apoio do secretário Raimundo Nunes (Sedesp), além de técnicos do órgão como Rui Ribeiro, diretor de Fomento aos Pequenos Negócios; Roberto Vital, chefe da Diretoria Agrícola, e Emerson de Almeida Fernandes, assessor jurídico, e os colaboradores Mauro Nunes e Rosalvo de Menezes Filho, ex-consultores do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas na Paraíba (Sebrae-PB).

Acatando sugestão do próprio D’Addario, a Comissão Européia decidiu enviar o convite para que João Pessoa apresentasse a proposta. No ano passado, durante uma visita a João Pessoa, ele ficou entusiasmado com o Cinturão Verde. “A forma séria e responsável como está sendo tratada a produção de alimentos orgânicos em João Pessoa me chamou a atenção e resolvi então apresentar esta proposta que foi aceita. Agora, estamos aqui finalizando o projeto e temos grande chance de sucesso”, relata.

Feira – O Cinturão Verde já conta com apoios importantes. Entre eles está a Prefeitura de Milão, que em 2015 será anfitriã de um dos mais importantes feiras do mundo. A ‘Expo 2015 – Nutrir o Planeta, Energia para Vida’ vai reunir países da Europa e da América que vão debater as alternativas para produção de alimentos em harmonia com o meio-ambiente. “É aí que entra João Pessoa com o Cinturão Verde”, diz D’Addario.

Os 3 milhões de euros, previstos na proposta que foi encaminhada à Comissão Européia, serão aplicados na produção de frutas e legumes orgânicos e na implantação de tecnologia para energia renovável em três países (Brasil, Chile e Itália), utilizando a experiência adquirida em João Pessoa após a implantação do Projeto Cinturão Verde.

Os resultados serão apresentados na ‘Expo’. A idéia, conforme o secretário Raimundo Nunes, “é promover o intercâmbio e transferir experiências para os líderes de vários países do mundo que estarão participando da feira”. A Prefeitura de João Pessoa se comprometeu em gerenciar os recursos financeiros de um programa que terá duração de seis anos, com início de execução previsto para 2009. “Mas há uma grande possibilidade de começarmos a execução ainda este ano”, ressalta.