Circuito Cultural das Praças com 15 atrações neste sábado

Por - em 23

Circo, teatro, músicas populares, dança e poesia juntos como artes integradas, além de shows de reggae, rock e música regional estão na programação do ‘Circuito Cultural das Praças’ deste sábado (3), que inclui seis bairros. As apresentações terão inicio às 17h, e 19h, dependendo da localidade. A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

A nova temporada do projeto começou em 9 de setembro de 2011 e vai se estender até março de 2012. Isso corresponde a 432 apresentações. Elas foram selecionadas via edital público, que recebeu propostas das áreas de música, cultura popular, artesanato, audiovisual, literatura, artes integradas, teatro, circo e dança. Esta edição traz ainda grupos e artistas convidados da Sedes.

Castelo Branco – o acordeonista Joabe Dantas fará apresentação na Praça Nossa Senhora da Paz, conhecida também como Praça da Cultura, às 19h. O compositor, nascido em Picuí em 1988, se radicou ainda criança em João Pessoa e teve seu primeiro contato com a música aos 14 anos de idade.

Atualmente, Joabe Dantas faz parte da Associação Balaio Nordeste e participa ativamente dos movimentos sociais, a exemplo do Fórum de Forró de Raiz. O show conta com a participação dos músicos Fabiano Lira (bateria), Leonardo Ferreira (zabumba), Dagnô (triângulo), Elder Morais (contra-baixo) e Marcelo D’Bass (Guitarrá). Além de composições autorais, o público poderá conferir sucessos atuais da música regional.

Manaíra – “A História da Palavra no Tempo”, é o espetáculo que o Grupo Perambularte apresenta na Praça Alcides Carneiro, às 17h.  O trabalho traz uma reflexão a respeito de qual teria sido a primeira palavra falada. Em uma linguagem regional e cômica, os personagens brincam e criam novas palavras até descobrirem que “luz” foi o termo que iluminou e deu origem a tudo o que existe.

O Perambularte é uma companhia de arte paraibana que trabalha com circo, teatro, músicas populares, dança e poesia. Os espetáculos são inspirados pelas características do sertão e da sabedoria e experiências do homem nordestino. Cada personagem é um palhaço criado pelos artistas do elenco, que colocam um pouco da própria personalidade em sua representação. Perambulando pelas ruas, o grupo pretende dar movimento à arte com a ideia de humanizar a figura circense do clown, possibilitando a identificação do público com cada personagem.

Bessa – as canções com mensagens de paz, esperança e consciência, utilizadas para fomentar a cultura e diminuir a diferença entre credos, raças e status social vão marcar a apresentação da Banda Rastamen na Praça do Caju, a partir das 19h. Para o grupo, o reggae não é só um estilo musical, mas sim uma ferramenta para questionar, formar e transformar opiniões.

Atualmente, Rastamen é formada por Jerffison (guitarra e voz), Lalo Miguel(bateria), Vinícius(teclado) e Marcelinho (contra baixo). Além de músicas próprias, a banda traz em seu repertório clássicos do gênero musical de artistas nacionais e internacionais como Bob Marley, Inner Circle, Tribo de Jah, Edson Gomes, Planta e Raiz, Adão Negro, Cidade Negra e Natiruts.

Padre Zé – Monstro é uma banda instrumental que se inspira em jam sessions para fazer uma sonoridade permeada por riffs e grooves, que partem do improviso do jazz e seguem até o rock. O processo de criação envolve ainda experimentalismos diversos, a fim de mostrar diferentes impressões, funcionando como um acabamento sonoro. Ela será a atração da Praça da Conquista, às 19h.

A banda surgiu no início de 2010, com os integrantes Bruno (baixo) e Lucas (guitarra). Depois, foram incluídos Xyco (bateria) e Regada (percussão). A Monstro realizou alguns shows durante esse período e teve passagem pelo Grito Rock 2011 JP e CG. O primeiro EP foi gravado em meados de junho de 2011, com quatro faixas, e leva o nome do grupo.

Funcionários I – na Praça Lauro Wanderley, a partir das 19h, o público poderá assistir ao espetáculo de artes integradas Tecnoscène, que envolve teatro e música. O trabalho traz um diálogo multifacetado entre pegadas rítmicas, sons e convenções musicais, possibilitando criar e experimentar. Há uma sincronia que transforma elementos musicais em enredo dramático. A montagem explora fragmentos do escritor W. J. Solha, com texto focado no homem e sua condição. É um discurso sobre arte, egocentrismo, ativismo, revolução, transformação, mudança, pelos quais transitam atitude, criatividade e poesia. O roteiro e montagem são do músico David Neves e do ator Tony Rodrigues.

Jaguaribe – O Oitavas no Choro é a atração da Praça Aquiles Leal a partir das 19h. A ideia de criar o grupo nasceu do  reencontro de alguns amigos e afinidades musicais. O nome faz alusão a um dos intervalos musicais que ilustram as partituras dos choros, contribuindo com os desenhos melódicos do gênero, considerados dinâmicos e complexos. O show terá a participação especial da cantora Soraia Bandeira.

O repertório que será apresentado passeia por conhecidas melodias de choros brasileiros, como “Santa Morena” (Jacob do Bandolim), “Bem-te-vi Tristonho” (Altamiro Carrilho), “Odeon” (Ernesto Nazareth), “Homenagem à Velha Guarda” (Sivuca), “Vou Vivendo” (Pixinguinha) e “Vê de Gostas” (Waldir Azevedo). Haverá espaço ainda para composições autorais, como “Paraibinha”, de Cornélio Santana, que toca flauta transversal no grupo. Ainda fazem parte da formação Medeiros (violão e cavaquinho), João Maria (violão de sete cordas) e Edônio Alves (pandeiro).

Funcionários II – o grupo de percussão da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) sobe ao palco da Praça Bela a partir das 19h. Trata-se de um projeto desenvolvido com os agentes de limpeza da Prefeitura de João Pessoa. É formado por servidores, que utilizam objetos encontrados no lixo como instrumentos musicais, a exemplo de tonéis, baldes, vidros e até peças de caminhão e computador. O resultado é uma fusão de ritmos que vão do tradicional baião, maracatu e ciranda, até os elementos da cultura norte-americana como rap e funk.

Conjunto Residencial Gervásio Maia – na Praça da Esperança, a partir das 19h, a animação fica por conta da Comedores de Lixo. Fundada em 1996, a banda teve como elemento base agregar idéias de cunho social à sua musicalidade, usando para isso o estilo hardcore. No repertório desta sábado, os músicos vão tocar composições autorais já registradas em álbuns e coletâneas, como “Justiça”, “Trabalho Infantil”, “Duas Versões”, “Ação Social”, entre outras faixas. Atualmente, a Comedores de Lixo conta em sua formação com Beto (bateria), Marcel (baixo), Lawrence (vocal) e Roninho (guitarra).

Valentina – Os Três do Norte será a atração da Praça Soares Madruga, às 19h. O grupo teve inicio em 1986. Atualmente, é composto por Lourenço Molla (acordeon), Milton Lima (vocal, triângulo e pandeiro) e Josil Lima (zabumba e vocal). No repertório estão sucessos de Luiz Gonzaga, Flávio José, Alcymar Monteiro, Trio Nordestino, Três do Nordeste, Pinto do Acordeon, Jorge de Altinho, Hermelinda, Nando Cordel e outros artistas de estilo regional.

Alto do Mateus – formada em 2010, a Sou Karma vai levar o rock à Praça das Mangueiras, a partir das 17h. Surgida em 2010, a banda recebe influência de The Beatles, Aborto Elétrico, Detonautas Roque Clube, Legião Urbana, Ramones, Social Distortion, Nirvana, Red Hot, Rage Against, Los Hermanos e outras formações nacionais e internacionais. O grupo tem como integrantes Ruana e Tiago (guitaras), Kadniel (baixo), João Ewerton (bateria) e Pedro (vocal).

Convidados da Sedes em cinco praças – a Sedes está levando nesse sábado para o ‘Circuito Cultural das Praças’ seis atrações em cinco bairros, acrescentando assim mais grupos e artistas para animar os espaços, além daqueles selecionados via edital público para o projeto. O objetivo é dar maior visibilidade aos trabalhos artísticos desenvolvidos pelas comunidades de João Pessoa.

Na Praça Nossa Senhora da Paz, conhecida também como Praça da Cultura, o convidado é o grupo de samba Raça Popular, formado por sete componentes e há 20 anos na estrada. A Banda Diplomata–83, que tem no repertório músicas da MPB, se apresenta na Praça Bela, no Funcionários II.

A Roda de Break vai levar a cultura hip-hop à Praça Soares Madruga, no Valentina de Figueiredo. Enquanto isso, no Alto do Mateus, a Praça das Mangueiras vai acolher a Família Z-A. Ainda no sábado, o hip-hop do Atitude Humana e o rap do Estrela Solidária serão as atrações convidadas da Sedes para a Praça do Caju, no Bessa.

Confira a programação completa deste sábado (03/12):

– Castelo Branco (Praça da Cultura) – 19h

Joabe Dantas (música)

Convidado da Sedes: Grupo Raça Popular (música)

– Manaíra (Praça Alcides Carneiro) – 17h

“A História da Palavra no Tempo” – Grupo Perambularte (artes integradas)

– Bessa (Praça do Caju) – 19h

Banda Rastamen (música)

Convidados da Sedes: Atitude Humana (Hip-Hop) e Estrela Solidária (Rap)

– Padre Zé (Praça da Conquista) – 19h

Banda Monstro (música)

– Funcionários I (Praça Lauro Wanderley) – 19h

Tecnoscène, com Tony Rodrigues e David Neves (artes integradas)

– Jaguaribe (Praça Aquiles Leal) – 19h

Oitavas no Choro, com participação especial da cantora Soraia Bandeira (música)

– Funcionários II (Praça Bela) – 19h

Baticunlata (música)

Convidado da Sedes: Banda Diplomata – 83 (música)

– Conjunto Residencial Gervásio Maia (Praça da Esperança) – 19h 

Comedores de Lixo (música)

– Valentina (Praça Soares Madruga) – 19h

Os Três do Norte

Convidado da Sedes: Roda de Break (Hip-Hop)

– Alto do Mateus (Praça das Mangueiras) – 17h

Banda Sou Karma (música)

Convidado da Sedes: Família Z-A