Circuito Cultural das Praças deste sábado tem música e dança popular

Por - em 46

Espetáculos de dança, bandas musicais e grupos carnavalescos de cultura popular integram o Circuito Cultural das Praças deste sábado (21), projeto realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da sua Fundação Cultural (Funjope) e da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

A iniciativa visa promover a diversidade cultural para a população dos bairros nos espaços públicos da cidade, com espetáculos em lugares pouco divulgados. As atrações selecionadas da Funjope foram escolhidas previamente, por meio de um edital público. Já os escolhidos pela Sedes foram convidados para apresentar seus trabalhos nas praças da Capital.

Sábado (21/01)

Castelo Branco – 19h – Na Praça da Cultura, às 19h, a atração é Francisco Diniz, que apresenta o show ‘Rima é Som’, título do quarto CD do artista paraibano. Ele é acompanhado do coro feminino da ONG Pro Dia Nascer Feliz, de Santa Rita, ‘As Flores Belas’. Completam o grupo musical, Fabiano Gonçalves, no violão, Lauro Brasileiro, no baixo, e Paulo Nascimento, na percussão.

No ano passado, Francisco Diniz fez shows em ambientes culturais de João Pessoa, Bayeux e Santa Rita mostrando a sua música regional, bem como o trabalho de cordel, com o objetivo de contribuir para a divulgação da poesia popular. Há 10 anos ele vem fazendo esse trabalho, especialmente nas escolas e também na internet, através do site www.projetocordel.com.br, que já superou a marca de 300 mil visitantes.

O artista convidado da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) na Praça da Cultura é a banda Rairon. Formado em 2011, o grupo é composto por integrantes dos bairros Castelo Branco e Bancários, que fazem um trabalho autoral e alguns covers com influências do rock dos anos 60 aos 90. Os membros da banda são: Hilton Airam (guitarra e vocal), Bruno Inamura (guitarra), Yuri Kmun (baixo) e Fernando (bateria).

Manaíra – 17h – Na Praça Alcides Carneiro, será apresentado o espetáculo de dança “Ponto de Vista”, do grupo Acena Dança, que retrata as relações sociais no mundo capitalista, enquadrando-nos numa mecânica de cópias e recriações, de formas e rótulos. O cubismo dá base estética ao figurino, à trilha sonora e à coreografia, brincando com as possibilidades de pontos de vista que se pode ter de um mesmo elemento: ritmos, sonoridades, perspectiva, movimentos, partes de roupa, etc. Essa desconstrução acaba por construir o cerne do espetáculo.

O grupo ACena Dança surgiu em 2003 pelas mãos da diretora e coreógrafa argentina Rosa Cagliani e atualmente possui uma direção coletiva, composta por Ali Cagliani, Bia Cagliani, Canízio Vitório, Izabella Aranha, Nana Vianna e Laís Luah. No seu histórico constam os espetáculos “Andanças” (2004), “Mandrágora” (2006/2007) e “Pulsação” (2008).

Bessa – 19h – O projeto de dança “Afrikando”, atração da Praça do Caju, trata da construção da identidade cultural de Evelyne Vilhete (africana), juntamente com um grupo de jovens artistas de João Pessoa, do ateliê de Elonai Gomes. O espetáculo contempla o apoio a manifestações culturais, através da comunhão dos povos, de descobrimentos mútuos das culturas, de oportunidades, de relacionamentos e de desenvolvimento econômico, com o fortalecimento das relações humanas, através do uso consciente do corpo, da musicalidade e da dança.

Com isso, busca-se uma maior interação entre africanos residentes na Paraíba e brasileiros, visando uma reflexão sobre a imagem das danças de origem africana no Brasil.

Padre Zé – 19h – Na Praça da Conquista, o grupo musical Forró Encabulado vai apresentar músicas do CD “Nascido no Mato”. O grupo surgiu em 2010, a partir da ideia de dois irmãos, que faziam parte de outras bandas de forró, a exemplo de Flor de Caroá e Beijo na Boca. Os músicos sentiram a necessidade de desenvolver um trabalho autoral, com arranjos próprios, além da possibilidade de interpretar músicas do cancioneiro nordestino.

Além de composições próprias, o repertório é composto por músicas de ícones da música nordestina, como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Genival Lacerda e Dominguinhos. Neste mês de janeiro, o Forró Encabulado participou do programa ‘Cultura Para Todos’, da TV Cultura, gravado em João Pessoa.

Funcionários I – 19h – A Escola de Capoeira Afro Nagô se apresenta na Praça Lauro Wanderley. A escola é uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos, fundada em 10 de abril de 1980, por Marcos Antônio da Silva (Mestre Zunga), no bairro do Castelo Branco. Ele vem realizando trabalhos de capoeira há 32 anos em diversos bairros da grande João Pessoa e em algumas cidades do Estado, como Campina Grande, Soledade e Cubati. A base da Afro-Nagô é a capoeira, mas a escola realiza também trabalhos com outros tipos de danças, como o Maculelê, o Puxado de Rede, o Samba de Roda, o Afoxé, a Ciranda e o Coco de Roda.

Jaguaribe – 19h – A atração da Praça Aquiles Leal é o Urso Panda, um grupo de ala ursa do carnaval tradicional de João Pessoa, que realiza apresentações em praças, eventos e concursos de carnaval, através de danças, fantasias de urso panda e instrumentos de percussão.

Funcionários II – 19h – Na Praça Bela, haverá apresentação do Clube de Orquestra Bandeirantes da Torre, criado em abril de 1950, quando um grupo de amigos fundou o clube Tiradentes Esporte Clube Recreativo. A equipe também foi responsável pela fundação do Clube Carnavalesco Bandeirantes da Torre, no ano seguinte (1951), filiando-se à Federação Carnavalesca de João Pessoa.

Valentina – 19h – A atração na Praça Soares Madruga é a Varadouro Groove Orchestra, projeto musical instrumental que utiliza baixo, guitarra, naipe de metais e várias baterias. A formação pode mudar a cada música ou apresentação, juntando até 10 baterias ao mesmo tempo. Entretanto, o objetivo é sempre o mesmo: criar uma poderosa massa sonora que não deixe ninguém parado, partindo, para isso, da unidade pulsante rítmica, o ‘groove’.

A Varadouro Groove Orchestra (VGO) foi formada em 2010, a partir de uma convergência de ideias que há muito tempo ocupavam espaço em rodas de conversas de vários músicos populares, frequentadores do Centro Histórico de João Pessoa. Com peças autorais que se inspiram em ritmos variados como funk, soul, samba, jazz, rock, blues, rap, afrobeat e world music, a VGO lança também novas visões sobre o instrumento predominante na banda, a bateria acústica, que se completa com o swing da dupla baixo e guitarra e as melodias do naipe de metais.

Alto do Mateus – 17h – A apresentação da Banda Big Five será na Praça das Mangueiras. A banda foi formada com a proposta de homenagear os ícones do rock pesado mundial, tais como Iron Maiden, Metallica e                                                                                                                                                                                                                                                           Megadeth. O nome é uma referência aos cinco mamíferos selvagens de grande porte mais difíceis de serem caçados pelo homem, que são: leão, elefante, búfalo africano, leopardo e rinoceronte. Mas também, é uma alusão a um memorável concerto denominado “Big Four”, que há pouco tempo reuniu num palco as quatro maiores bandas de thrash metal: Metallica, Anthrax, Megadeth e Slayer.

 

O grupo surgiu em 2009, com a reunião dos integrantes remanescentes da Metallica Cover, banda bastante conhecida no circuito “underground” nordestino desde a década de 80, e que encerrou suas atividades no final de 2008.

 

A outra atração na praça do bairro será o grupo de hip hop ADNVO, formado pelo MC Robinho e Mano Pipoca, que há sete meses vem se apresentando no Circuito das Praças, como convidados da Sedes.

 

Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes – 17h – A atração é o a Orquestra de Berimbaus do grupo de capoeira Angola Comunidade, do Mestre Naldinho e alunos, que foi criado em fevereiro de 1980 e tem como objetivo principal preservar as qualidades e a tradição da verdadeira capoeira angola. A Orquestra de Berimbaus começou em 1995 e é composta por membros do grupo, que tem como coordenador Inaldo Ferreira de Lima , o Mestre Naldinho.

 

Programação de Sábado (14/01):

Castelo Branco (Praça da Cultura) – 19h – Francisco Diniz

– Banda de rock Rairon

Manaíra (Praça Alcides Carneiro) – 17h – Espetáculo de dança “Ponto de Vista”

Bessa (Praça do Caju) – 19h – Projeto de dança “Afrikando”

Padre Zé (Praça da Conquista) – 19h – Forró Encabulado

Funcionários I (Praça Lauro Wanderley) – 19h – Escola de Capoeira Afro Nagô

Jaguaribe (Praça Aquiles Leal) – 19h – Grupo Urso Panda

Funcionários II (Praça Bela) – 19h – Orquestra Bandeirantes da Torre

Valentina (Praça Soares Madruga) – 19h –Varadouro Groove Orchestra

Alto do Mateus (Praça das Mangueiras) – 17h –Banda Big Five

– Grupo de Hip Hop ADNVO

Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes (Praça da Esperança) – 17h – Orquestra de Berimbaus