Circuito das Praças tem cultura popular, dança, música e teatro

Por - em 106

O Circuito Cultural das Praças deste sábado (11) vai apresentar cinco espetáculos de cultura popular, duas atrações de dança, um grupo musical, um show de teatro e circo, e por fim, uma atração literária; além dos artistas convidados da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes). As apresentações acontecem durante o período vespertino, a partir das 17h e noturno, às 19h. De acordo com a programação do projeto, os artistas deste sábado (11) foram selecionados por meio de edital público, depois do envio de propostas à (Funjope), desde o ano de 2011. Todos os shows, espetáculos e apresentações têm objetivo de difundir a produção dos artistas e a cultura paraibana.

O projeto é realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da sua Fundação Cultural (Funjope), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes). O Circuito das Praças mantém uma programação permanente, no intuito de mostrar espetáculos culturais aos moradores dos bairros da Capital. No total, são 432 apresentações selecionadas por meio de edital público, sem contar os artistas convidados da Sedes.

Confira a programação:

Sábado (11/02)

Castelo Branco – (praça da Cultura) – 19h00minh – Grupo Jacoca – Dança,

Banda Scream e o Projeto Cultural – CG Artes – Música – O Grupo Parafolclórico Jacoca apresenta o show de cultura popular envolvendo a arte da dança e dos cantos regionais, com bastante empenho e entusiasmo. O Jacoca foi criado em 2001, no Conde, cidade do litoral paraibano, e é um dos maiores representantes da cultura parafolclórica do Brasil, com um trabalho dedicado à pesquisa, preservação e divulgação das danças e cantos folclóricos nacionais. Ao longo de mais de 10 anos de existência, o grupo é reconhecido no Brasil, por causa do importante trabalho de preservação da cultura popular brasileira. O principal objetivo do grupo é resgatar a nossa cultura e fazer com que os jovens da Paraíba conheçam mais as manifestações culturais do Estado.

Na praça, os convidados da Sedes são a Banda Scream e o Projeto cultural do Valentina – CG Artes, que existe há sete anos e há dois formaram uma banda sem fins lucrativos.

Manaíra – (praça Alcides Carneiro) – 17h00minh – Tribo Guanabara – Cultura Popular – A Tribo Guanabara, do bairro de Mandacaru, anima a praça com os símbolos de guerra, como arcos e flechas; o colorido e o brilho dos figurinos e estandartes e os movimentos típicos da dança indígena. A agremiação acumula diversos títulos, tendo sido campeã no ano de 2010. O seu fundador foi Antonio Massu, que repassou a direção para Francisco Ferreira dos Santos (Pelé). Na década de 90, devido a problemas de saúde do presidente Pelé, a tribo parou de desfilar, voltando à cena carnavalesca a partir de 2001. Em 2005, ficou em terceiro lugar na competição entre tribos. Atualmente, a sede está localizada na rua João Tota, 115, no bairro de Mandacaru.

Bessa – (Praça do Caju) – 19h00minh – Nau Q Cirando – Dança – ‘Nau Q Cirando’ é o título do espetáculo de dança que será apresentado na praça do bairro. Navegando pelos mares, a Nau avista terra firme, um cenário marcado pelos cantos e encantos nordestinos. Danças de coco de roda e ciranda vão embalar o público com a força da voz e do ritmo no cântico popular do povo pescador; tudo compassado ao som marcante dos pés do grupo de sapateado ‘Tap Arretado’.

O grupo de sapateado americano ‘Tap Arretado’ surgiu através de uma ação social, cultural e educativa, desenvolvida desde 2005, com crianças e jovens, sob a direção da professora Alessandra Mello, instalada no município de Lucena, litoral Norte da Paraíba. A ação tem como objetivo promover a autoestima, facilitar o acesso a cultura e as artes, além de divulgar o sapateado americano, ainda pouco conhecido na região Nordeste.

Padre Zé – (praça da Conquista) – 19h00minh – Baixinho do Pandeiro e Seu Regional – Música – ‘Baixinho do Pandeiro e seu regional’ é o título do show que acontece na praça da Conquista, no bairro Padre Zé. O artista promete colocar o público para dançar com muito samba, xote, coco e músicas de Jacson do Pandeiro e Luiz Gonzaga. Baixinho do Pandeiro, que celebra em 2012, 58 anos de carreira, nasceu na cidade de Remígio, no interior do Estado. Em 1975, passou a residir em Campina Grande, onde era conhecido como Zé do Pandeiro. Em 1995, o artista se apresentou com a Orquestra Sanfônica de Campina Grande e passou a fazer parte da banda de Biliu de Campina, que é o responsável pelo nome artístico de Baixinho do Pandeiro. Participou de show de grandes artistas nordestinos, a exemplo de Marinês, Waldonis, Elba Ramalho e Dominguinhos.

Funcionários I – (praça Lauro Wanderley) – 19h00minh – ‘Zé Lins – O Pássaro Poeta’ – Teatro e Circo – O espetáculo do grupo teatral Engenho Imaginário, ‘Zé Lins – O Pássaro Poeta’ é uma peça infanto-juvenil baseada na obra literária de Ana Maria Machado, intitulada “O Menino que Virou Escritor”. Trata-se da livre adaptação e direção de Valeska Picado, que teve sua estreia em 2007, apresentando o autor regionalista brasileiro, José Lins do Rego e o universo de sua obra literária, por meio do encantamento da biografia encenada. O trabalho utiliza contos, manipulação de bonecos, danças e canções para lembrar alguns personagens marcantes do autor.

A encenação é feita pelos brincantes David Muniz, Naná Viana, Carlos Anísio e Valeska Picado. As músicas, em sua maioria, são compostas pelo maestro Carlos Anísio. O projeto foi aprovado pelo edital do Fundo Municipal de Cultura (FMC) da PMJP. A peça representou o Brasil no Festival Iberoamericano de Teatro para a Infância e a Juventude, que aconteceu na cidade de Santo Domingo, na República Dominicana, em novembro de 2010, com o patrocínio do Ministério da Cultura (Minc).

Jaguaribe – (praça Aquiles Leal) – 19h00minh – Ciganos do Esplanada – Cultura Popular – O Clube de Orquestra Ciganos do Esplanada foi fundado em 1999, por Marcos Antonio dos Santos, conhecido como ‘Coroné Bonerges’, devido a sua atuação na quadrilha junina Botijinha. A agremiação surgiu com a finalidade de animar a rua. Foi assim, que músicos e amigos resolveram se reunir e montar uma orquestra cujo nome foi pensado a partir da figura de uma cigana, símbolo da quadrilha que anima ainda hoje o bairro do Esplanada, com suas cores verde, vermelho, preto, branco e amarelo. O grupo transformou-se em uma entidade social sem fins lucrativos denominada, Associação Folclórica Clube de Frevo Ciganos de Esplanada e Quadrilha Junina Botijinha, e conta com 250 participantes cadastrados.

Funcionários II – (praça Bela) – 19:00h – Te Conto na Praça – Literatura

Os moradores do bairro vão poder conferir o espetáculo literário ‘Te conto na Praça’, apresentado por Bruno Hercílio, às 19h, na Praça Bela.

Valentina – (praça Soares Madruga) – 19h00minh – Orquestra de Berimbaus – Cultura Popular. – O grupo de Capoeira ‘Angola Comunidade’ do Mestre Naldinho e alunos foi criado em 03 de fevereiro de 1980 e tem como objetivo principal preservar as qualidades e a tradição da verdadeira Capoeira Angola. A Orquestra de Berimbaus teve seu início em 1995 e é composta por membros do grupo, que tem como coordenador Inaldo Ferreira de Lima o “Mestre Naldinho” que é formado pelo Mestre Nó da Bahia.

Os integrantes da orquestra são: André Lima Ribeiro, Allan Cristian de Melo Silva, Adriano Santos de Oliveira, Betânia Luis de Melo, Carlos Eduardo de A. Melo, Cleiton A. de Melo Silva, Cristiane dos Santos Pereira, David Monteiro da Silva, Dayvson Silva de Lima, Fábia Azevedo da Silva, Gabriel Correia da Silva, Gutemberg da Silva Ferreira, Hernane Gomes da Cunha Ramos, Ivanilda Coriolano, Jailson dos S. do Nascimento, Jailson Evaristo da Silva, Jair Martins da Silva, Joedson Padilha de Araujo, João Antonio do N. Pereira, Jocilene Cunha da Silva, Lindemberg da Silva Ferreira, Marcondes dos Santos Silva, Marivan Geraldo Gomes de Lima, Marenilson do N. Aleixo, Monica Souza de Lima, Ricardo Mindêlo Falcão, Roberta Kaline Lemos de Melo, Silvania Priscila de Souza Lima, Sérgio Martins da Silva, Thiago Martins da Silva e Wênia Xavier de Medeiros.

Alto do Mateus – (praça das Mangueiras) – 17h00minh – Tribo Indígena Xavantes – Cultura Popular – A Tribo Indígena Xavantes foi fundada em 18 de janeiro de 1961, por um antigo morador do bairro, o senhor Orlando. A primeira sede da Tribo ficava na rua Marta Pacheco, Comunidade Bola na Rede, bairro dos Novais. A agremiação carnavalesca tem como cores tradicionais o amarelo, o vermelho e o branco. O endereço atual dessa tradicional tribo de João Pessoa é a rua São João, s/n, Comunidade Bola na Rede, bairro dos Novais.

Estação Cabo Branco – 17h00minh – Tribo Tupi Guarani – Cultura Popular -A cultura popular vai movimentar a Estação, com a apresentação da Tribo Indígena Tupi Guarani, do bairro de Mandacaru, que foi a campeã do Carnaval Tradição 2011, na categoria tribos indígenas. O ano passado a agremiação carnavalesca conquistou o público e os jurados com a exuberância, o colorido e o brilho dos grandes cocares e pela coreografia bem ensaiada. A Tribo foi fundada em 1985, pelo Mestre Zé Moura, que morreu em 2010, mas deixou um legado para os integrantes que continuam o trabalho da Tupi Guarani com empenho e dedicação.

Serviço:

Sábado (11/02)

Castelo Branco – (praça da Cultura) – 19h00minh – Grupo Jacoca – Dança

Banda Scream e o Projeto Cultural – CG Artes – Música

Manaíra – (praça Alcides Carneiro) – 17h00minh – Tribo Guanabara – Cultura Popular

Bessa – (praça do Caju) – 19h00minh – Nau Q Cirando – Dança

Padre Zé – (praça da Conquista) – 19h00minh – Baixinho do Pandeiro e Seu Regional – Música

Funcionários I – (praça Lauro Wanderley) – 19h00minh – ‘Zé Lins – O Pássaro Poeta’ – Teatro e Circo

Jaguaribe – (praça Aquiles Leal) – 19h00minh – Ciganos do Esplanada – Cultura Popular

Funcionários II – (praça Bela) – 19h00minh – Te Conto na Praça – Literatura

Valentina – (praça Soares Madruga) – 19h00minh – Orquestra de Berimbaus – Cultura Popular.

Alto do Mateus – (praça das Mangueiras) – 17h00minh – Tribo Indígena Xavantes – Cultura Popular

Estação Cabo Branco – 17h00minh – Tribo Tupi Guarani – Cultura Popular