Clube do Balanço fez o público dançar no Ponto de Cem Réis

Por - em 19

Há quem diga que o toque do surdo é como se fosse o coração do samba. Se isso for verdade, o percussionista Fred Prince mostrou que o Clube do Balanço, de São Paulo, está com uma saúde musical disposta a enfrentar longos anos de carreira. O grupo de samba rock se apresentou na Festa das Neves, no domingo (1◦). Na mesma noite também subiu ao palco, montado no Ponto de Cem Réis, o compositor paraibano João Linhares e a banda Capim Cubano. A realização do evento, que vai até 5 de agosto, é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Quando o Clube do Balanço começou a marcar o compasso, o vocalista Marco Mattoli ordenou sua guitarra a passear pelos clássicos do samba rock como Bicho do Mato, Zamba Bem e Paz e Arroz. O público respondeu dançando e acompanhando as letras das músicas.

Quem foi ao show do Ponto de Cem Réis viu um Clube do Balanço formado por músicos mais do que competentes, como Edu Salmaso, na bateria, o trombonista Tiquinho, o tecladista Marcelo Maita, o baixista Gringo Pirrongeli, Reginaldo Gomes no trompete, além da voz pujante de Tereza Gama. “É um prazer enorme tocar para vocês no aniversário da cidade”, agradeceu Mattoli, ao ser saudado pelo público, quando já passava da meia-noite.

A banda paraibana Capim Cubano, bastante conhecida pelos pessoenses, também animou a noite do domingo, balançando a platéia com ritmos latinos. No repertório, o grupo tocou sucessos como Teresa Bandolera, Mentirosa e Eldorado. Houve espaço ainda para as músicas do novo CD, intitulado Brasil Latino.

O premiado cantor e compositor paraibano João Linhares subiu ao palco para fazer um show diversificado de ritmos. Acompanhado pelos músicos Nandel (trompete), Júnior (sax) e Xiquinho (percussão), o trabalho apresentado incluiu salsa, samba, música eletrônica e blues.

A cultura popular se apresentou em tablado também armado no Ponto de Cem Réis. A animação ficou por conta da Barca Santa Maria de Bayeux, dos emboladores de coco Geraldo Mouzinho e Ginaldo Mouzinho, além do Coco de Roda Mestre Benedito.