Começa nesta quinta seminário sobre cineclubes, na Estação Cabo Branco

Por - em 37

Cinéfilos, produtores audiovisuais cineclubistas e gestores vão participar do ‘Seminário Estadual Para a Auto-sustentabilidade Cineclubista – Circuito em Construção’, nesta quinta (19) e sexta (20), na Estação Cabo Branco, Ciência Cultura e Artes, localizado no Altiplano Cabo Branco, com palestras, oficinas e grupos de trabalho.

O evento, que acontece pela primeira vez nesta Capital, é realizado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope), em parceria com a Associação Brasileira de Documentaristas, Secção Paraíba (ABD – PB), Tintin Cineclube e Associação Cultural Tela Brasilis, com patrocínio da Secretaria do Audiovisual (SAV) e Fundo Nacional de Cultura, ambos ligados ao Ministério da Cultura (Minc), e apoio do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Paraíba (Sebrae – PB), Representação Regional Nordeste (Minc-NE), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), e (ECBCCA).

Leis de Incentivo – A palestra acontece nesta quinta-feira (19), das 9 às 12h, ministrada pelo ator e produtor cultural Buda Lira, que atualmente integra o elenco do espetáculo ‘A gaivota’ do Piollin Grupo de Teatro, que vem participando do Projeto Palco Giratório com apresentações em diversos estados brasileiros.

Direito Autoral – Será ministrada, nesta quinta-feira (19), das 14 às 17h, por Clarice Marinho Martins de Castro, Mestra em Direito pela London School of Economics and Political Science – Universidade de Londres – Ela já proferiu palestras em diversas universidades, a exemplo da Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), e recentemente, na Organização Mundial de Propriedade Intelectual-WIPO-Genebra.

Cine Mais Cultura / Auto-Sustentabilidade– O tema será discutido nesta sexta-feira (20), das 9 às 12h, e será ministrada por Frederico Cardoso e Eduardo Ades. O primeiro ministrante é fundador de oficinas populares no Rio de Janeiro, pelo Cinemaneiro ‘Fora do Eixo’, e atualmente trabalha como coordenador executivo do Cine Mais Cultura, já tendo ocupado o cargo de coordenador geral da Programadora Brasil na Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (MinC). Já o segundo palestrante, Eduardo Ades, é integrante do Conselho Diretor da Associação Cultural (e cineclube) Tela Brasilis, proponente do Circuito em Construção, e ainda, diretor de fotografia, produtor e diretor de cinema.

Constituição de Federação Cineclubista – esta palestra acontecerá nesta sexta-feira (20), das 14 às 17h, e será proferida pelo presidente da Federação Pernambucana de Cineclubes e realizador do Festival Cine Chinelo no Pé, Gê Carvalho.

História – O primeiro cineclube do Brasil surgiu em 1928, no Rio de Janeiro. Nos anos de 1950, o cineclubismo exerceu importante papel na formação intelectual e cinematográfica de jovens que mais tarde viriam a se tornar artífices do Cinema Novo, o mais celebrado movimento cinematográfico do país.

Nas duas décadas seguintes, o cineclubismo ganhou um contorno mais politicamente engajado ao se tornar instrumento e espaço de encontro privilegiado da oposição ao regime autoritário que se instalou.

Com a redemocratização dos anos 1980, a atividade cineclubista passou por uma desarticulação, pois perdera seu principal papel de então, o de ‘conscientizar o povo através do cinema’. Após um momento de quase paralisação da produção cinematográfica nacional no começo dos anos de 1990, na segunda metade desta década o filme brasileiro volta a freqüentar paulatinamente as telas dos cinemas em um movimento que ficou conhecido como Retomada. Atualmente, o Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros (CNC) contabiliza mais de 500 ações por todo o País. Mais informações pelos telefones 3218-9708 (Casarão 34) e 3221-8450 (ABD – PB).