Comerciantes da orla recebem empréstimos do Empreender-JP

Por - em 37

O prefeito Luciano Agra liberou nesta quinta-feira (14) mais 41 empréstimos do Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios de João Pessoa (Empreender-JP), beneficiando comerciantes que trabalham nas barracas da orla de Cabo Branco e de Tambaú. Cada um deles recebeu R$ 15 mil para investir na reforma dos quiosques (totalizando R$ 615 mil). Os estabelecimentos devem estar reformados até o mês de dezembro.

Entre os beneficiados está o comerciante Paulo Giovanny Torres, que emprega cinco funcionários na barraca Divina Gula, no Cabo Branco. “Em 22 anos de orla, essa foi a melhor gestão que encontramos, que conseguiu realmente trazer mudanças”, declara. Ele conta que dará início às obras no quiosque na próxima segunda-feira e espera concluir os trabalhos dentro de 45 dias. “Tudo deve estar pronto antes do verão, que com certeza será muito melhor este ano”, afirma.

O primeiro contrato de empréstimo foi entregue pelo prefeito Luciano Agra ao presidente da Associação dos Micro Empresários da Orla, Antônio Fernandes. “Hoje é um dia de festa. Problemas existem para ser resolvidos e, hoje, estamos resolvendo um grande problema, que é a recuperação da orla”, declarou Fernandes.

De acordo com o superintendente do Patrimônio da União, Welison Silveira, que esteve presente à cerimônia de entrega de contratos, João Pessoa é um exemplo para todo o País dentro no projeto de recuperação da orla brasileira do Governo Federal. “Estamos, agora, levando o exemplo da Capital paraibana para ser implantado no município de Cabedelo”, revelou. “Pelo desempenho que vem apresentando, parabenizamos a Prefeitura por essa iniciativa e digo que iremos reproduzi-la em todo o Estado”.

Em João Pessoa, o projeto de recuperação da orla prevê a reforma de 23 “ilhas” de quiosques, sendo nove delas com apenas uma barraca grande e 14 com três barracas menores e um “extrabar” (ponto para venda de coco verde, sorvetes e outros produtos de apoio), totalizando 65 microempreendimentos. Todos os empresários receberão capacitação e empréstimo pelo Empreender-JP.

Políticas públicas – O secretário municipal de Desenvolvimento Sustentável da Produção, Raimundo Nunes Pereira, destacou o papel do Programa na aplicação das políticas públicas criadas pela Prefeitura. “Sabemos o quanto é difícil trabalhar com políticas públicas, mas estamos conseguindo ser bem sucedidos”.

No caso dos comerciantes da orla, o empréstimo está sendo liberado por meio da linha especial de crédito “Mercados Públicos”, que já beneficiou, por exemplo, empresários do Terminal de Integração, da Feirinha de Tambaú e dos centros comerciais de Passagem, do Varadouro e 4&400. Com a liberação de contratos nesta quinta-feira, o Empreender já investiu R$ 21.740.646,80 na economia da Capital, por meio de 9.291 contratos.

Para o secretário-executivo de Desenvolvimento Urbano, Lucius Fabiani, a cerimônia desta quinta-feira marca não apenas a liberação de crédito para os donos de barraca. “É o reconhecimento oficial de vocês na orla de João Pessoa. Garante a vocês a estabilidade de que precisam”, declarou.

Obras – Durante a solenidade de liberação de contratos, o prefeito Luciano Agra e o secretário municipal de Turismo, Elzário Pereira, anunciaram novidades que devem estimular o setor turístico da Capital. De acordo com Agra, deve ser entregue ainda este mês a nova decoração do Parque Solon de Lucena, que contará com uma fonte de água luminosa.

Já Elzário Pereira lembrou que a Prefeitura e a Superintendência do Patrimônio da União assinam na próxima segunda-feira (18) o acordo de doação formal da área para construção da Escola de Gastronomia de João Pessoa.

Segundo o secretário, 60% da obra já estão em andamento, mas, agora, será realizada a realocação dos comerciantes que trabalham nas proximidades. “Essa obra vai garantir a capacitação adequada de uma força de serviço essencial para o crescimento do mercado turístico da Capital”, declarou.

Outra obra citada por Elzário foi a construção da Usina de Beneficiamento de Coco Verde, que ficará localizada no conjunto Colinas do Sul, no Vale do Gramame. No próximo dia 23 será assinada a licitação da obra e, segundo o secretário, a previsão é de que os trabalhos durem em torno de 90 dias. “Vamos ordenar o recolhimento do coco que é utilizado em larga escala nas barracas da orla e vamos transformar esse material em artesanato, transformar isso em dinheiro para os artesãos”.