Comissão Municipal de Emprego dá posse a novos presidente e diretores

Por - em 28

O secretário Municipal de Desenvolvimento Sustentável da Produção, Raimundo Nunes Pereira, é o novo presidente da Comissão Tripartite Paritária de Emprego, Trabalho e Renda de João Pessoa. Ele substitui Jurandir Vasconcelos, dirigente da Câmara de Dirigentes Lojistas da Capital (CDL), e terá mandato de 12 meses. O cargo de secretário-executivo da Comissão, anteriormente ocupado por Nunes, agora passa a ser do coordenador do Sine-JP (Sistema Nacional de Empregos de João Pessoa), Demócrito (Moca) Medeiros.

A posse aconteceu nesta segunda-feira (10), na Secretaria de Desenvolvimento Sustentável da Produção (Sedesp). Na ocasião, Raimundo Nunes revelou o projeto de implantar em João Pessoa o Observatório do Trabalho, uma ferramenta de acompanhamento do mercado de trabalho desenvolvida pelo Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Com a instalação do Observatório, é possível fazer o acompanhamento da flutuação das vagas de trabalho. “Ele indica as mudanças e o processo evolutivo da oferta e da demanda de emprego e pode mapear o quadro futuro do mercado de trabalho”, explica Nunes.

Na opinião do novo presidente da Comissão Municipal de Emprego, a ferramenta será útil para encaminhar ao mercado de trabalho os cerca de 17 mil jovens que já estão sendo beneficiados pela Prefeitura de João Pessoa dentro das diversas modalidades do ProJovem, programa de capacitação de mão-de-obra do Ministério do Trabalho. “Já temos condições de ter um Observatório aqui”, garante.

A necessidade de acompanhamento do mercado de trabalho pessoense pode ser detectada também no aumento do número de atendimentos do Sine-JP. Inaugurado em 2008 com uma meta de demanda de 50 pessoas por dia, hoje o serviço recebe, diariamente, 200 candidatos a emprego, em média, e até 500 em períodos de maior oferta de vagas. “Os números do Sine surpreendem”, declara Raimundo Nunes.

Além da Sedesp e do Sine-JP, estiveram presentes à cerimônia de posse da Comissão Municipal de Emprego representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedes), da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio (Sinecom), da Central Única dos Trabalhadores (CUT), do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sintricom) e da Superintendência Regional do Trabalho (SRTE).

Qualificação – De acordo com Jurandir Vasconcelos, presidente da CDL-JP, a experiência de um ano à frente da Comissão Municipal de Emprego foi muito produtiva. “Discutimos e encaminhamos diversos projetos em benefício da categoria empresarial e dos trabalhadores”. Ele acredita que, atualmente, a falta de qualificação profissional é o grande desafio do mercado de trabalho pessoense.

“Para reduzir esse problema, a CDL está criando a Escola do 1º Emprego, com objetivo de oferecer capacitação para os candidatos às vagas do setor”. A escola funcionará a partir do segundo semestre, em parceria com o Sebrae. Além das aulas teóricas, os alunos vão poder aprender na prática, participando de estágios nas lojas parceiras do projeto. “E quem se destacar poderá ser absorvido como funcionário efetivo pela empresa”, informou Jurandir Vasconcelos.

A Comissão – O mandato dos representantes da Comissão Municipal de Emprego, de 12 meses, é exercido em sistema de rodízio entre as bancadas do Governo, dos empregados e dos empregadores. O órgão tem caráter deliberativo e é composta por 12 membros.

Reativada em João Pessoa em 2007, a comissão é uma instância colegiada e deliberativa que tem como finalidade encontrar alternativas para a superação do problema do desemprego, ratificando a participação da sociedade organizada na aplicação dos recursos oriundos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Além disso, a CTPE/JP também orienta a instalação do Sistema Municipal de Empregos (Sine-JP).

A Comissão foi criada seguindo o modelo do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) e atua como um prolongamento desse colegiado, no sentido de indicar áreas e setores prioritários para alocação dos recursos, acompanhar e fiscalizar sua aplicação no município.