Comitê lança material educativo sobre os riscos da exposição à poeira

Por - em 50

A inalação de poeira nos ambientes da construção civil pode ser considerada um problema de saúde pública. É que quando trabalhadores estão expostos a esse tipo de ambiente, podem inalar um composto químico chamado sílica, comprometendo a própria saúde. Este tema foi abordado durante o lançamento do material ‘Funcionários Sadios, Empresas Saudáveis’ e o vídeo ‘Exposição à Sílica’, que ocorreu nesta quinta-feira (18), à noite, no Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e do Mobiliário de João Pessoa (Sintricon). O evento foi realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) e demais entidades da construção civil e relacionadas aos estudos sobre a silicose.

Somente em João Pessoa, são cerca de 10 mil trabalhadores da construção civil que podem estar sujeitos à silicose, doença que ataca os pulmões e que não tem cura, se não forem tomadas as medidas de proteção adequadas. No Estado da Paraíba, são 30 mil pessoas e em todo o Brasil são estimados 6 milhões de trabalhadores expostos a ambientes com poeira contendo sílica.

Foi a partir dessas constatações que o Comitê de Estudos sobre Exposição à Sílica na Indústria da Construção da Paraíba (Cesic-PB), que conta com a participação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), resolveu trazer à tona este tema, tanto para os trabalhadores, quanto para os empresários da construção civil.

A programação do lançamento do material didático-educativo contou com a participação da Organização internacional do Trabalho (OIT), através do consultor e médico sanitarista Zuher Handar, que apresentou o Programa Nacional de Erradicação da Silicose. Em seguida, o pesquisador da Fundacentro-PE, Gilson Rodrigues, apresentou uma pesquisa realizada em canteiros de obras em relação à exposição à silicose, bem como o material da campanha educativa.

O vídeo ‘Exposição á Sílica’ será exibido nos canteiros de obras e aos órgãos empresariais, a fim de fazer um alerta sobre o conhecimento da doença e as medidas de prevenção. O material impresso será utilizado pelo Cesic-PB nas atividades programadas envolvendo também os trabalhadores da construção civil.

A diretora do Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador de João Pessoa, Carmem Almeida, explicou que durante a pesquisa nas obras os trabalhadores vêm sendo identificados e encaminhados para exames clínicos ocupacionais e exames radiológicos. Segundo ela, os primeiros resultados obtidos apontam para uma intervenção mais efetiva no controle das doenças.

O que é sílica – O termo sílica refere-se ao composto natural formado por oxigênio e o silício presente em materiais utilizados na construção civil, como areia, brita e rochas ornamentais. Quando são desenvolvidas atividades em que há liberação de poeira sem a devida proteção, o trabalhador contrai a chamada silicose, poeira nos pulmões que causa “fibrose” ou seja, o endurecimento do órgão, prejudicando a respiração.

A silicose é assintomática, mas com um tempo começam a aparecer sintomas como fraqueza, tosse, expectoração e dificuldade respiratória. Na fase mais avançada, os sintomas evoluem para insuficiência respiratória grave, fraqueza grave, dor torácica acentuada e alteração da cor da pele. A doença no estágio avançado é incurável. Após o diagnóstico, a pessoa deve se afastar no serviço e ter um acompanhamento médico especializado.