Complexo Hospitalar de Mangabeira realiza 68 cirurgias durante o final de semana

Por Thadeu Rodrigues - em 214

O Complexo Hospitalar de Mangabeira Governador Tarcísio de Miranda Burity (Ortotrauma) realizou 68 cirurgias, de sexta-feira (17) até a manhã desta segunda-feira (20). O esforço concentrado da equipe foi uma resposta ao aumento do número de acidentes de trânsito ocorridos nos últimos 30 dias, com lesões mais graves das vítimas.

“Fizemos uma força-tarefa para atender as demandas da sociedade. Em novembro, houve um aumento do número de acidentados do trânsito, inclusive com aumento de 25% da quantidade de fraturas expostas, que são lesões mais graves. Entendemos que isto é reflexo do número de feriados, em que muitos motoristas combinam álcool com o ato de conduzir”, afirma a diretora-geral do Complexo Hospitalar de Mangabeira, Fabiana Araújo.

O Ortotrauma realiza uma média de 450 a 500 cirurgias por mês, o que corresponde a uma estimativa de 15 a 17 cirurgias por dia. Contudo, no último final de semana, o número de procedimentos cirúrgicos foi acrescido em 50% sobre o quantitativo normal. “Conseguimos dar alta a 43 pacientes na sexta e no sábado, abrindo leitos para receber novos pacientes”, destaca a gestora.

Fabiana Araújo lembra a necessidade de prudência e respeito às leis de trânsito para evitar o risco à saúde e à vida. “É preciso conscientização de cada motorista. Um deslize pode tirar uma vida ou acarretar em um grave acidente, em que a vítima tem que passar por uma cirurgia, afastar-se de sua família e de seu trabalho”.

Dados do ano – No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o Ortotrauma registra a realização de 4.279 cirurgias. O quantitativo representa um crescimento de 4,77% sobre o que foi realizado na unidade hospitalar no mesmo período de 2016 (4.084).

O Ortotrauma é referência em cirurgia de urgência e emergência de áreas abaixo do cotovelo e abaixo do joelho, conforme pactuação firmada com o Ministério da Saúde. A unidade hospitalar também realiza pequenas cirurgias sem internamento, consultas, exames laboratoriais e por imagem, tratamentos de recuperação motora por meio do Centro de Reabilitação e Tratamento da Dor (Cendor) e urgência psiquiátrica por meio do Pronto Atendimento em Saúde Mental (PASM).