Comtur cria grupos para solucionar problemas na área de turismo

Por - em 33

A criação de grupos de trabalho compostos pelas entidades que fazem parte do Conselho Municipal de Turismo (Comtur) foi uma das decisões tomadas em reunião realizada na semana passada, no Auditório do Verde Green Hotel, em Manaira. Os integrantes do Conselho vão fazer um levantamento dos problemas existentes em alguns setores na cadeia do turismo para tentar solucioná-los.

A reunião do Comtur teve inicio com a informação da mudança de endereço da sede da Secretaria de Turismo de João Pessoa (Setur) do Parque Solon de Lucena para a Avenida Odon Bezerra, 367, em Tambiá, que deve ocorrer até o próximo mês.

A proposta para implantação do Plano Municipal de João Pessoa também foi apresentada pelo secretário de Turismo, Francisco Linhares, que ressaltou o desejo do prefeito Luciano Agra em assinar o mais rápido possível o convênio para que os primeiros passos possam ser dados. A proposta é que o Plano seja elaborado de forma participativa para construção das diretrizes gerais voltadas para o desenvolvimento do turismo em médio e longo prazo.

A Fundação Getúlio Vargas ficará responsável pela coordenação do Plano Municipal de Turismo, com planejamento até 2020, contando com o apoio da Secretaria de Turismo e demais órgãos da Prefeitura de João Pessoa.

Na reunião do Comtur, a secretária adjunta de Planejamento de João Pessoa (Seplan), Amélia Panet, apresentou o Projeto Orla, mostrando as áreas que atingem a zona litorânea e a extensão dos trechos invadidos, tanto dos espaços públicos quanto da Marinha. Amélia Panet esclareceu que o projeto não vai interferir na desova das tartarugas marinhas existente no Bessa e que ele visa resgatar zonas ocupadas irregularmente, pois existem locais onde os proprietários de imóveis até privatizaram os acessos à praia, se apropriando indevidamente.

O Projeto Orla prevê a implantação de locais de passeio, uma ciclovia, e área de acessibilidade para cadeirantes em um trecho de sete metros do Bessa. Na praia de Cabo Branco serão implantadas mantas geotêxteis que se adequem ao local, afixadas na areia para conter o avanço do mar, evitando a erosão e resgatando a área hoje degradada. Também faz parte do projeto a implantação de área de lazer, com um relógio solar, e de contemplação, que atingirá as praças de Iemanjá e do Sol Nascente.