Comunidade do Timbó recebe orientação da Emlur sobre lixo

Por - em 42

O descarte de lixo nas ruas, em terrenos baldios e no leito dos rios traz problemas para a população. Por isso, a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) realizou na manhã desta terça-feira (24) uma ação educativa na Comunidade do Timbó, nos Bancários. A atividade dos educadores ambientais e fiscais começou por volta das 9h e foi encerrada às 11h30.  

Um total de 23 funcionários da autarquia atuou no bairro, numa ação porta a porta, orientando os moradores sobre a forma adequada de se acondicionar o lixo domiciliar. Eles informaram que os detritos gerados dentro de casa devem ser colocados em sacos plásticos e depositados para recolhimento no dia e em horário próximo ao da passagem do caminhão de coleta.

A equipe fez a abordagem individual com distribuição de panfletos para prevenir a população sobre os impactos ambientais e orientar o acondicionamento correto, além de informar quais os dias da coleta de lixo na comunidade. Outra dica importante repassada foi a de que não se deve depositar nos sacos de lixo seringas, agulhas, vidros ou qualquer objeto cortante e/ou perfurante, para evitar acidentes com agentes de limpeza.

Mesmo com a coleta de lixo doméstico feita regularmente (segundas, quartas e sextas) no Timbó, os técnicos da autarquia detectaram um acúmulo de sujeira muito grande na área, o que oferece risco à saúde e causa alagamento em época de inverno.

Durante o monitoramento realizado no Timbó, os técnicos observaram que os próprios habitantes têm contribuído para essa situação, quando jogam detritos e entulho em terrenos baldios ou colocam os sacos fora dos coletores estacionários instalados na comunidade. Os coletores recebem o lixo produzido pelos moradores de áreas onde o caminhão compactador não entra. Esses equipamentos são esvaziados duas vezes por semana pela Emlur.

“Muitas vezes as donas de casas mandam as crianças depositarem o lixo no coletor, como elas não alcançam jogam fora do equipamento, contribuindo para o acúmulo de sujeira. Nessa ação, nosso foco é orientar para que os moradores só coloquem o lixo na calçada no dia e em horário próximo à passagem do caminhão de coleta”, disse o supervisor de fiscalização, Hélio Dias.

Com uma população de 4.600 habitantes e aproximadamente 900 domicílios, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a comunidade do Timbó é considerada área de risco e tem recebido atenção especial por parte da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) no que se refere à coleta de lixo.

Nas áreas onde o caminhão coletor não entra, a Emlur disponibilizou um agente comunitário que apanha todos os dias os sacos de lixo das casas e deposita no coletor estacionário, para ser recolhido pelos agentes de limpeza. Já o caminhão de coleta passa pela comunidade as terças, quintas e sábados.

O movimento da equipe chamou a atenção dos moradores da comunidade do Timbó, como foi o caso da lavadeira de roupa Maria da Penha de Assis, que mora há 10 anos no local com os sete filhos. “Achei a ação muito bacana. Aqui no Timbó a coleta é feita nos dias certo, mas os moradores precisam cooperar para diminuir a sujeira nas ruas”, disse Penha.

Este ano, a Educação Ambiental já atuou em comunidades de 26 bairros, levando orientação sobre lixo aos moradores da Capital. Entre eles estão Alto do Céu, Colibris (José Américo), Riachinho (Treze de Maio) e Paulo Afonso (Jaguaribe). A próxima visita da equipe de Educação Ambiental será em Mangabeira V, por solicitação dos delegados e conselheiros do Orçamento Democrático. Para verificar a eficácia dessa ação educativa, os fiscais da Emlur farão uma nova visita na área dentro de 15 dias.