Concerto de Natal une o erudito ao popular e emociona público em Tambaú

Por - em 48

Mais uma vez a Capital paraibana comprovou porque merece ser chamada carinhosamente de ‘Viena Brasileira’, com vocação musical para o erudito, sem esquecer o toque especial dos elementos da cultura popular. Alinhavando essa particularidade, a Orquestra de Câmara de João Pessoa se mostrou como a grande ‘regente’ do tradicional ‘Concerto de Natal’, na noite deste domingo (23), no palco montado no Busto de Tamandaré, entre as praias de Tambaú e Cabo Branco. Os músicos passearam desde composições como ‘Rhapsody in Blue’, de George Gershwin (1898-1937), à cantata ‘Cânticos da Natividade’, do maestro paraibano Carlos Anísio, até então inédita.

O Coral Infantil do Peti de Cruz das armas – Formado por crianças de 8 a 15 anos beneficiadas pelo Programa de Erradicação do Trabalho Infantil e que é gerenciado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) – abriu a apresentação, interpretando os movimentos da singela peça ‘História de Natal’, de Marcelo S. Petraglia, escrita para coro infantil e acompanhamento.

Entre o público presente e atento ao palco – armado em forma de concha acústica, nas areias da praia de Tambaú – estava o prefeito Ricardo Coutinho (PSB). Para ele, o evento também reflete a política de inclusão social, proposta pela atual gestão.

“Estamos trazendo a cultura clássica e erudita, de forma aberta, para a população. É uma maneira de aproximar do povo aquilo que não é tocado nas rádios. Nesse concerto mostramos, com esse mesmo objetivo de integração, o Coral do programa de Programa de Erradicação do Trabalho Infantil”, observou.

Debaixo de um cenário bucólico, com céu estrelado, lua cheia e coqueiros, o público entregou toda concentração que o momento exigia. A saída bastante aplaudida do coral infantil deu lugar à apresentação do pianista José Henrique Martins. Também acompanho pela Orquestra de Câmara de João Pessoa, o solista executou a peça ‘Rhapsody in Blue’, de George Gershwin (1898-1837), sob a regência do maestro Gustavo de Paco de Gea.

A surpresa da noite ficou com a cantata ‘Cânticos da Natalidade’, executada em 12 movimentos pela Orquestra de Câmara, sob a batuta do maestro paraibano Carlos Anísio, que também é autor da composição, baseada no roteiro de Altimar Pimentel. A apresentação teve a participação da solista e soprano Maria Juliana, além dos componentes do Coro de Câmara Villa Lobos. Parte do grupo estava caracterizada com vestimentas em tom azul e branco, enquanto o restante usava as cores vermelho e branco, simbolizando os dois cordões da popular Lapinha.

A até então a inédita cantata sobre temas de Natal nordestino teve a narração do repentista Oliveira de Panelas. Intercalando os 12 movimentos da peça e em versos populares, ele contou a saga das pastorinhas anunciando o nascimento de Jesus de Nazaré. A regência também ficou por conta do maestro Carlos Anísio.

Depois da apresentação da obra paraibana inédita, maestro, músicos e coralistas permaneceram no palco para executar e interpretar mais dois outros temas. Um deles foi o popular ‘Então é Natal’, de John Lenon (1940-1980), na versão de Carlos Rabello, seguida de ‘Jesus Cristo’, de Roberto Carlos e Erasmo Carlos. Os arranjos foram assinados por Dierson Torres.

A noite foi encerada com a tradicional peça “Noite Feliz”, de Franz Gruber (1787-1863), com arranjos de Carlos Anísio, regida pelo maestro Gustavo de Paco de Gea e tendo como solista a soprano Maria Juliana. O público, antes concentrado, aplaudiu de pé a apresentação primorosa de músicos e convidados.

O Concerto de Natal é uma realização da PMJP, por meio da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope). Além de ser uma espécie de ‘boas vindas’ às festividades de final de ano, a apresentação também inaugura a programação de Verão da Prefeitura Municipal, que terá continuidade com uma série de apresentações de música instrumental, erudita e clássica – ‘Musica do Mundo” – a partir desta terça-feira (25) até domingo (30).