Cozinha Comunitária do Cristo é entregue aos moradores pela PMJP

Por - em 46

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) entregou na manhã desta quinta-feira (28) a terceira das cinco Cozinhas Comunitárias que vão atender 200 pessoas, cada uma, em situação de insegurança alimentar, com refeições gratuitas. A unidade inaugurada fica situada na Comunidade Bela Vista, Rua Fernando Cunha Lima, s/n, no bairro do Cristo. À tarde será entregue a quarta Cozinha, no Bairro dos Novais, na Rua Santo Amaro, s/n. A última a ser inaugurada é a do Timbó, nesta sexta-feira (29), às 11h, na Rua Seleida A. Ferreira, s/n, Bancários.

O chefe do Gabinete do Prefeito, Alexandre Urquiza, que representou Luciano Agra na solenidade, destacou que as Cozinhas Comunitárias não serão apenas espaços para servir refeições, mas para distribuir conhecimento. “O que estamos inaugurando aqui não é simplesmente uma cozinha, pois essa unidade é de segurança alimentar e nutricional e também de qualificação. O objetivo dessa unidade é ensinar a fazer, na medida em que produz e distribui alimento para 200 pessoas”, revelou Urquiza, citando alguns dos cursos que estarão disponíveis na cozinha. “Teremos cursos de aleitamento materno, alimentação para hipertensos, enfim uma série de conhecimentos que estarão acessíveis à comunidade”, contou Alexandre Urquiza.

O secretário adjunto de Desenvolvimento Social (Sedes), Antônio Jácome, disse que a Cozinha Comunitária da Comunidade Bela Vista é a concretização de uma política pública de combate à fome idealizada pelo Governo Federal e que o Município de João Pessoa, alinhado com a política nacional de segurança alimentar, está fortalecendo. “Essa é uma ação que vem trazer acesso fácil, adequado e permanente de alimento para as famílias carentes e de baixa renda dessa comunidade”, afirmou Jácome, ressaltando que “oferecer esse alimento para essas familiais e fazer com que elas não só tenham uma alimentação adequada, mas uma vida com mais qualidade”.

A diretora de Trabalho, Renda e Economia Solidária da Sedes, Vaulene de Lima Rodrigues, reforçou o diferencial da unidade que é a articulação da política de segurança alimentar nutricional com elo na questão educacional. “Não temos apenas uma unidade no aspecto emergencial, mas sim estruturante. Aqui teremos oficinas e qualificação, com perspectiva ao trabalho e renda, do aprendizado e do ensino à comunidade de como se alimentar bem” explicou.

 

Ela acrescentou que a nutricionista que atuará na unidade também vai trabalhar orientando a população no processo nutricional. “Se alguém da comunidade tem problema de pressão alta, por exemplo, pode vir até a Cozinha e, com a ajuda da nutricionista, terá o processo nutricional acompanhado”, completou Vaulene Rodrigues.

Investimento – As Cozinhas Comunitárias integram o Sistema Nacional de Segurança Alimentar (Sisan) e fazem parte das ações desenvolvidas pela Diretoria de Trabalho Renda e Economia Solidária (Direcosol), da Sedes.

O investimento total nas cinco unidades construídas na Capital é de R$ 1 milhão, sendo R$ 400 mil de recursos próprios da Prefeitura e R$ 600 mil do Governo Federal, através do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Para a manutenção dos equipamentos, a PMJP investirá cerca R$ 1 milhão por ano. O público-alvo das cozinhas é formado por pessoas em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar.

Cadastro – Para serem beneficiadas com refeições, as pessoas devem fazer cadastro no Programa de Saúde da Família (PSF) e Centro de Referência de Assistência Social (Cras) da comunidade. Duzentas pessoas serão selecionadas e terão acesso às refeições em cada cozinha, que contará com 12 funcionários, entre eles, cozinheiros e auxiliares capacitados e treinados através de parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e que foram selecionados dentro das próprias comunidades. Além disso, o trabalho de distribuição das refeições será acompanhado por nutricionistas.