Das 95 escolas da rede, 82 têm atividades educativas com ensino integral

Por - em 136

Dividindo o microfone e a bancada com a colega de classe, Vanessa César, 14 anos, estreia como apresentadora do jornal da escola Lyons Tambaú, no bairro dos Bancários, onde cursa o 8º ano. Ainda com o frio na barriga, a estudante garante. “Depois da experiência, tive certeza: quero ser jornalista. Vou lutar por esse sonho que começou aqui, na oficina de rádio e jornal escolar”, disse a garota.

Vanessa está entre os 8,4 mil alunos atendidos pelo Programa Mais Educação, executado pela Secretaria de Educação e Cultura (Sedec) em 82 das 95 escolas do município. Até o final deste ano, serão incluídas outras seis unidades – em 2013, a perspectiva é que o programa seja levado para toda a rede municipal de ensino.

André Márcio e Pedro Henrique, ambos do 3º ano e com 8 anos de idade, também são atendidos pelo Mais Educação. Os dois não perdem uma aula de judô. “No tatame, nos sentimos em casa. A gente se cansa bastante, mas sai daqui com mais disposição para enfrentar a sala de aula”, disse André.

O monitor confirma: a garotada tem disposição de sobra. “Alguns chegam agitados, mas, depois de alguns treinos, percebemos uma mudança significativa, já que a arte marcial exige disciplina e respeito”, disse Ranierison Tavares, que trabalha na Lyons Tambaú.

Ideb – A Lyons Tambaú obteve 4,7 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2011, ocupando a 6ª posição no ranking das melhores escolas públicas da Paraíba, na categoria 5º ao 9º ano. “O esforço do alunado no Mais Educação contribuiu muito para esse resultado. Estamos mais empenhados e buscamos melhorar a cada dia”, enfatizou a diretora da escola, Maria da Luz Figueiredo.

Na escola Antônio Santos Coelho Neto, na Penha, a meninada se esforça para montar um grupo de forró pé de serra. A idéia nasceu durante uma oficina de percussão oferecida na unidade de ensino. Emanuel Cauã, de 8 anos, é um dos integrantes. Mal consegue segurar a zabumba, mas já mostra habilidade com o instrumento. “Sou pequeno, mas já sei tocar”, disparou o menino, que está no 3º ano.

A música é o forte da escola, que também oferece aula de ensino coletivo de cordas: violão, cavaco, bandolim e violino. A pequena Heloísa Santos arrisca algumas notas e confessa. “É difícil demais, mas eu consigo. Com 7 anos eu já leio e escrevo, imagina tocar isso aqui”, falou a aluna do 2º ano, muito confiante.

Para o secretário municipal de educação, Genildo Lucena, práticas como essas tiram o alunado da ociosidade e fazem com que estes fiquem longe da violência. “Apostamos no trabalho que vem sendo realizado, no potencial dos educadores, que são treinados e capacitados, e, claro, no nosso público alvo, os estudantes, que merecem ensino de qualidade. O ambiente escolar é o lugar de aprender, viver e ser feliz”, concluiu Lucena.

Programa – O Mais Educação é uma iniciativa político-educacional do Governo Federal, por meio do Ministério da Educação e Cultura (MEC), em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e a Prefeitura de João Pessoa (PMJP).

O programa beneficia alunos do 2º ao 9º ano, que participam de atividades pedagógicas de múltiplos saberes, no turno oposto ao da aula. Todos têm direito a três refeições diárias, sendo dois lanches e um almoço. “Educação de qualidade é feita a partir do princípio da proteção integral”, disse a coordenadora Adriana Maia.

Oficinas – O Mais Educação oferece 55 oficinas. Entre as principais, podem ser citadas: informática, fotografia, judô, rádio, jornal escolar, letramento, dança, teatro, hip hop, ensino coletivo de cordas, violão, cavaquinho, bandolim, violino, história em quadrinhos, mosaico, canto coral, percussão e matemática.

Mais informações sobre o Mais Educação pelo telefone 3214-3208, de segunda a sexta-feira, das 8 às 12h e das 14 às 18h, ou pelo e-mail: cirandadgc@gmail.com.