Defesa Civil alerta para risco de deslizamentos e instala placas

Por - em 89

As pessoas que fazem caminhadas na orla do Cabo Branco devem redobrar a atenção ao passar pela barreira, devido os riscos de deslizamentos. Na manhã desta quinta-feira (30), a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) iniciou a instalação de placas de sinalização sobre riscos na área. As placas estarão dispostas da Praça de Iemanjá, que sofre os efeitos da erosão e da força das ondas do mar, até a praia do Seixas, em um percurso de quase dois quilômetros.

De acordo com o coordenador da Comdec, Noé Estrela, a ação serve de alerta para o período de ventos fortes em setembro, que podem causar ressacas no mar. “É arriscado passar próximo ao pé da falésia do Cabo Branco, principalmente quando a maré estiver alta”, disse. Segundo ele, a erosão acontece por conta das ondas do mar, da chuva e dos ventos.

Noé disse ainda que o fluxo de pedestres no local é muito grande nos fins de semana, inclusive com a presença de pessoas que praticamente acampam no pé da falésia. Ele contou as pessoas levam bebidas ao locale ainda deixam as crianças brincando na área de risco. “A falésia está com um recuo muito grande, deixando a parte alta sem apoio. Não estamos proibindo que passem por lá, mas que andem a uma distância segura”, ressaltou.

Contenção – De acordo com o secretário adjunto de Planejamento, Glauco Cavalcante, a prefeitura aguarda a liberação orçamentária pela Caixa Econômica Federal para realizar as obras de contenção da erosão na falésia do Cabo Branco.

“Vamos construir arrecifes artificiais no pé da falésia e no trecho da praia do Seixas, para conter a força da água. Além disso, serão colocadas pedras no trecho que vai da Praça de Iemanjá até a praia do Seixas”, explicou. Segundo o secretário, o projeto custa R$ 15 milhões – e já estão garantidos R$ 8 milhões.

Deslizamentos – A Defesa Civil também vai colocar placas de alerta de deslizamento em outras áreas da cidade. Segundo o engenheiro da Comdec, Alberto Sabino, o trabalho deve começar na próxima semana, nas comunidades Saturnino de Brito, Timbó e Renascer I. No Alto do Mateus, os avisos serão colocados na comunidade Beira da Linha e na Rua Ari Barroso.