Defesa Civil começa a executar plano de contingência para chuvas

Por - em 47

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de João Pessoa (Comdec) começou a executar, na manhã desta segunda-feira (19), o plano de contingência para a prevenção de chuvas na cidade. Das 32 áreas da Capital, a ação foi iniciada nas comunidades Saturnino de Brito, Renascer e Santa Emília de Rodat. Representantes de 13 órgãos que integram a equipe já definiram alguns pontos críticos nas comunidades, com risco de desabamento, e já foi levantada a hipótese de retirada de famílias. Os participantes vão elaborar um relatório técnico para definir as ações prioritárias.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Francisco Noé Estrela, já foi verificado o risco de desabamento de algumas casas que ficam no sopé da barreira da comunidade Saturnino de Brito. “O lixo nas encostas faz com que a água fique acumulada e desça com mais força sobre as casas, causando riscos de desabamento, além dos riscos de causar doenças na população”, afirmou ele.

Para Francisco Noé Estrela, o depósito de lixo pela própria população é um dos principais problemas nessas localidades. Ele diz que vai entrar em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) para ver a possibilidade de retirada de algumas famílias e a inclusão no programa de auxílio-moradia.

Segundo o diretor do Departamento de Varrição e Coleta (Devar) da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), José Antônio de Araújo, a coleta é feita regularmente, embora não resolva o problema na comunidade Saturnino de Brito. “Vamos fazer uma campanha educativa em todas as comunidades porque o empenho da população em não jogar lixo na rua é essencial para que o plano de prevenção aos danos das chuvas funcione”, disse José Antônio. No início da manhã, uma equipe de 20 agentes da começou a retirada de lixo das encostas das comunidades.

Os moradores também reclamam do problema. Geralda Araújo, residente há mais de 20 anos na Saturnino de Brito, disse que sempre que chove sofre muitos transtornos. “O lixo vem para as nossas casas e o local fica muito fedorento. Além disso, ficamos com medo de a barreira desabar sobre nossa casa”.

Já a moradora Luzinete Fonseca falou que sempre no período chuvoso sua casa fica suja com o barro que cai da barreira. O relatório da equipe da Comdec vai ficar pronto em alguns dias e vai avaliar o real risco de desabamento destas casas, bem como definir o que cada órgão participante vai fazer para prevenir os danos.

A Energisa também esteve presente na ação e vai providenciar a religação da iluminação de postes que estavam danificados. A empresa também vai regularizar o fornecimento de energia em algumas residências, que utiliza energia desviada, além dos casos em que há fiação puxada clandestinamente e que oferece riscos à população.

Continuidade – As ações nas três comunidades serão realizadas até o fim da próxima semana. No dia 3 de janeiro, a equipe vai se deslocar para as comunidades Tito Silva, Santa Clara e São Rafael, e fará um trabalho similar até o dia 11.

Em seguida serão vistoriadas as comunidades Timbó, São José, João Agripino, Chatuba I, II e III, Esperança, Riachinho, Padre Zé, Roger, Asa Branca, Boa Esperança, Novo Horizonte, 05 de junho, São Judas Tadeu, Beira da Linha, Rua Luis Jacinto, Rua Ari Barroso, Rua José Eduardo de Holanda, Avenida Cabo Branco, Santa Bárbara (no Valentina e nos Bancários), Lagoa Antônio Lins, Maria de Nazaré, Porto do Capim e Comunidade do S. A ação se prolonga até o mês de março.

Participam do plano de contingência da Comdec as secretarias de Infraestrutura (Seinfra), Meio Ambiente (Semam), Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Desenvolvimento Social (Sedes) e Saúde (SMS), além do Orçamento Democrático (OD), Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), Guarda Municipal e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), todos da PMJP. A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), o Corpo de Bombeiros e a empresa Energisa também integram o grupo.