Defesa Civil inicia 2ª etapa do Plano de Contingência

Por - em 25

A Comissão Municipal de Defesa Civil deu continuidade na manhã desta quinta-feira (26) às visitas de inspeção do Plano de Contingência 2009 da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), iniciando assim a segunda etapa desse trabalho que abrange 11 das 33 localidades situadas nas chamadas áreas de risco da Capital.

A primeira comunidade a ser inspecionada foi a do Timbó, no Bairro dos Bancários. No local, foi diagnosticado um problema de erosão no final da Rua Margarida Maria Alves, que tem casas construídas no ‘pé’ da barreira.

Manoel Duré, Coordenador da Defesa Civil, explicou que “como não ocorre o escoamento da água, já que a galeria pluvial está entupida, a água da chuva corre até o final da rua e penetra no solo, encharcando a área. Com isso, sempre que chove, parte da barreira cede”.

Solução – Para resolver o problema, uma equipe da Secretaria de Infra-Estrutura (Seinfra) fará a remoção da parte do terreno comprometida e que ameaça as casas. Outros problemas verificados no local foram a presença de esgoto a céu aberto e uma área que os moradores transformaram em depósito de lixo, contribuindo assim para a proliferação de insetos e doenças.

Duré informou ainda que existe um projeto específico da Secretaria de Habitação Social para Comunidade do Timbó, relocando famílias e demolindo casas em situação de risco. A Semhab já realizou reuniões com os moradores e 150 residências já fazem parte desse projeto, que deverá ser realizado nos próximos seis meses.

Cabo Branco – O cronograma de visitas do dia levou a equipe até o bairro do Cabo Branco, mais precisamente a rua paralela a barreira existente na localidade. Lá, o problema encontrado foi o risco de queda de árvores, que podem atingir casas ou a fiação elétrica.

“A mata da barreira do Cabo Branco é composta de árvores de grande porte. Com os ventos e a chuva forte, as árvores estão apresentando uma inclinação, o que pode provocar algum acidente. Diante disso, vamos remeter um relatório ao setor de botânica da Secretaria do Meio Ambiente que ficará encarregado de fazer o laudo da área e solicitar da Secretaria de Desenvolvimento Urbano a poda dessas árvores”, informou Duré.

Já em relação às chuvas registradas no período do Carnaval, o problema mais grave ocorreu na Comunidade Renascer, no bairro do Distrito Mecânico, onde um deslizamento de barreira atingiu a cozinha de uma casa. Técnicos da Defesa Civil estiveram no local e verificaram que acidente fora provocado por um esgoto clandestino e irregularidade na construção do imóvel, bem ao lado da barreira. O local foi interditado.