Defesa Civil monitora áreas atingidas pelas chuvas em João Pessoa

Por - em 65

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) permanece em estado de alerta para monitorar as áreas de João Pessoa atingidas pelas fortes chuvas que ocorrem desde o final de semana passado. De acordo com a Agência Executiva de Gestão de Águas da Paraíba (Aesa), nos dois primeiros dias de julho já choveu 43,45% da média histórica de chuvas para o mês.

A Defesa Civil recebeu 30 chamadas nas últimas 48 horas, sendo três consideradas de risco: alagamento na Comunidade São José (Bairro São José), desmoronamento na Comunidade Saturnino de Brito (Jaguaribe) e deslizamento de barreira na Rua Monsenhor José Coutinho, no bairro do Roger.

Na manhã desta terça-feira (3), uma equipe da Defesa Civil esteve na Saturnino de Brito para a demolição de três moradias que se encontravam em estado de risco, nas proximidades de uma barreira. Ao todo, o órgão informou que nove casas já foram interditadas ou demolidas no local.

As famílias que residiam nessas casas estão sendo removidas para abrigos provisórios, como a Escola Municipal Damásio da Franca, onde recebem apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) com auxílio de cesta básica, colchões e cobertores. Além disso, elas serão inscritas no auxílio moradia da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) para pagar o aluguel de uma nova casa.

Noé Estrela, coordenador da Defesa Civil, destacou que algumas famílias estão resistindo a deixar suas casas, mesmo sabendo da situação de risco. “Explicamos que é uma ação emergencial para a segurança delas. Precisa ser feito”, disse. Segundo ele, a Comdec está numa ação integrada para atender as localidades atingidas pelas chuvas.

Programação – Nos próximos dias, a Comdec segue o programa de monitoramento. A comunidade Maria de Nazaré, no Funcionários II, a Comunidade Frei Damião, no bairro Valentina Figueiredo, e o bairro do Roger são alguns pontos que terão a visita da Defesa Civil. O Alto do Matheus já passou por vistoria, mas nenhuma casa foi interditada.
Para qualquer emergência, o telefone da Defesa Civil está disponível durante 24 horas, todos os dias da semana. A população pode acioná-la pelo número 0800-2859020. A chamada é gratuita.

Além da Defesa Civil, estão participando das operações a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob).

Previsão do Tempo – Segundo informações da Aesa, o acumulado de chuvas nos dois primeiros dias de julho (domingo e segunda-feira), registrou 102.8 mm, o que corresponde a 43,45% da média histórica do mês, que é de 236 mm.

“As chuvas já estão menos intensas do que as que ocorreram em junho e devem diminuir no decorrer do mês, mas podem ultrapassar o que está previsto”, disse Carmem Becker, meteorologista da Aesa. De acordo com ela, a previsão é de que nesta quarta-feira (8) as chuvas permaneçam na Capital, com períodos de estiagem.