Defesa Civil realiza limpeza do Rio Jaguaribe para evitar alagamentos

Por - em 30

A Coordenadoria Municipal da Defesa Civil (Comdec) iniciou nesta semana a limpeza do Rio Jaguaribe, em parceria Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) e da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur). O trabalho está sendo feito na foz do rio, quando as águas deságuam no mangue. Segundo o coordenador da Defesa Civil, Francisco Noé Estrela, o trabalho deve durar em torno de 15 dias e deve evitar transtornos de alagamento nas áreas próximas.

Nesse final de semana a Comdec recebeu chamados de alagamentos no Bairro dos Novais e na comunidade Rio da Bomba, no Padre Zé. Os dois casos tratam de problemas de drenagem, mas a Seinfra está trabalhando na área para contornar a situação. “O problema é que, por exemplo, no Bairro dos Novais, as comunidades se instalam em locais inadequados, como as margens do riacho Santo Amaro e, quando chove, este tipo de problema acontece”, explicou Francisco Noé Estrela.

Proteção das famílias – A Coordenadoria Municipal da Defesa Civil (Comdec), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e a de Habitação (Semhab), estão realizando o levantamento das famílias que estão sob situação de risco na comunidade do Timbó. A identificação está sendo feita pelas equipes que verificaram a possibilidade de desmoronamento da barreira, com risco para casas situadas no topo e no pé da barreira da comunidade.

Segundo o coordenador da Comdec, Francisco Noé Estrela, há 190 famílias na comunidade que estão cadastradas no plano de habitação municipal, mas a Sedes está trabalhando para inserir no auxílio-moradia as que estão sob alto risco. “Esta é uma ação urgente e ainda não há um número exato destas famílias. Estamos nos antecipando ao período maior de chuvas para que não haja vítimas”, disse ele.

Francisco Noé Estrela explicou que há muitas fossas nas casas da barreira, o que contribui para o risco de desabamento. Além disso, há árvores de grande porte na área, que poderão ser cortadas, caso as famílias não sejam retiradas com urgência. O trabalho na comunidade faz parte do plano de contingência, que está em execução desde o final do ano passado e que deve percorrer outras comunidades da cidade até o final de março, para amenizar os efeitos das chuvas nessas localidades.