Dia contra o fumo: campanha tem adesão de restaurantes e shoppings

Por - em 25

Funcionários de restaurantes e shoppings vestiram a camisa da campanha ‘João Pessoa 100% Livre de Fumaça de Cigarro’, no sábado (31 de maio), dentro da programação do ‘Dia Mundial Sem Fumo’. Na solenidade de abertura do evento, que aconteceu no auditório do Atlântico Praia Hotel, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a Secretaria Estadual de Saúde (SES) e Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa) lançaram a campanha que ganhou as ruas, com a distribuição de panfletos e adesivos e teve a colaboração de cerca de 450 funcionários de 14 restaurantes e de dois shoppings, que trabalharam vestidos com a camisa da campanha.

O município de João Pessoa foi considerado pela Organização Pan Americana de Saúde (OPAS) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Agevisa) referência no País no cumprimento da Lei Federal nº. 9294, que proíbe o fumo em ambientes fechados.

Conscientização – De acordo com a chefe de fiscalização da Gerencia de Vigilância Sanitária (GVS), Jailma Porto, o trabalho de conscientização e fiscalização que vem acontecendo junto aos donos de bares e restaurantes e as campanhas educativas no sentido de evitar o fumo em lugares fechados vêm surtindo efeito positivo. “O resultado é que hoje podemos dizer que os proprietários e clientes desses estabelecimentos estão respeitando a Lei”, explicou Jailma Porto.

O curador do Cidadão, Valberto Lira, afirmou que o Ministério Público continuará dando apoio aos órgãos de vigilância para o cumprimento da Lei Federal e da Lei Municipal que proíbe e estabelece multa para os proprietários de estabelecimentos que descumprirem a legislação.

Benefícios – O prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB), que também vestiu a camisa contra o fumo, é um bom exemplo de pessoa que conseguiu largar o cigarro em 2002, depois de fumar durante vários anos. Ricardo recomenda que as pessoas deixem de fumar, pois irão sentir os benefícios para a saúde e ao mesmo tempo ajudar numa política pública de saúde e na melhoria da qualidade de vida da população. “Não sei como engoli tanta fumaça prejudicando a minha saúde”, lembrou.

O prefeito ressaltou que cada vez mais as pessoas deixam de fumar e assim cuidam da própria saúde e respeitam o próximo. “É um exercício de cidadania que precisa ser respeitado, pois também faz com que as outras pessoas exerçam o direito de não consumir a fumaça de um cigarro”, explicou.

Parceria – A secretária de Saúde de João Pessoa, Roseana Meira, destacou os avanços no combate ao fumo no município através de um trabalho integrado entre a Gerência de Vigilância Sanitária (GVS), a Agência Estadual de Vigilância Sanitária e o Ministério Público. Segundo ela, o cigarro é sinônimo de doença e dependência química e não um estilo de vida como tenta vender a indústria tabagista.

De acordo com a secretária, o município também desenvolve o Programa Municipal de Tabagismo, que dispõe de quatro Centros de Referência para o Tratamento de Fumantes que querem deixar de fumar. Os serviços funcionam nos Centros de Assistência Integral à Saúde (Cais) de Jaguaribe, Cristo Redentor, Mangabeira e Unidade Básica de Mandacaru.

Roseana Meira explicou que os participantes passam por consulta para avaliação clínica, terapias em grupos e recebem medicamentos e materiais de apoio aos pacientes atendidos nas unidades.

Números – Segundo dados do município, em 2007, quando o serviço só funcionava no Centro de Atendimento Médico (Came) Primavera e no Cais de Mangabeira, 157 pessoas participaram do programa e 27% delas conseguiram parar de fumar. Entre os meses de janeiro a março deste ano, já eram 169 os participantes dos grupos terapêuticos nos quatro centros de referência.

Conforme pesquisa do Ministério da Saúde, 14,9% da população maior de 18 anos eram fumantes em 2007, sendo 20,8% do sexo masculino e 10,2% do sexo feminino. A cidade é a 13ª Capital em número de fumantes nessa faixa etária.