Dia D da Campanha Antirrábica acontece neste sábado

Por Rebeka Paiva - em 680

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realiza neste sábado (21) o dia D da Campanha de Vacinação Antirrábica. A abertura do Dia acontecerá no Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses (CVAZ), localizado na Avenida Walfredo Macêdo Brandão, nº 100, Jardim Cidade Universitária, a partir das 8h30. A campanha começou no último dia 11, com a vacinação acontecendo por meio de postos itinerantes espalhados pela cidade, e segue até o dia 31 de outubro.

Devem ser vacinados todos os cães e gatos acima de três meses de idade que ainda não foram imunizados. Além do ponto de vacinação no CVAZ, a SMS estará disponibilizando outros 200 pontos de vacinação espalhados por todos os bairros da capital, que funcionarão das 8h até as 17h.

“É importante lembrar que a vacinação antirrábica é uma proteção não apenas para o animal, mas para as pessoas também, uma vez que o animal infectado pode transmitir a raiva para o humano em caso de mordidas”, destaca o Gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses, Nilton Guedes.

Ainda de acordo com o gerente, o animal precisa ser vacinado anualmente. Porém, aqueles que ainda receberão a primeira dose deverão tomar a segunda dose após 30 dias. Ele alerta também para a contraindicação. “Se o animal estiver debilitado não deverá receber a vacina, mas isso será avaliado pela equipe no momento da vacinação e, após o reestabelecimento do animal, ele poderá ser vacinado”, explica Nilton, que completa as orientações.

“O proprietário deve levar o cartão de imunização do animal, mas aqueles que não tiverem o cartão também receberão o comprovante de vacinação. É importante lembrar que a vacinação no dia D acontecerá durante todo o dia, então não precisa de pressa por parte dos donos. Pedimos também que no momento da vacina o animal esteja sendo conduzido por uma pessoa maior de idade, além disso o animal precisa estar calmo”, orienta Nilton Guedes.

Para este ano, a meta é imunizar 80% da população de cães da Capital, que atualmente é estimada em 80 mil cães, devendo ser vacinados 64 mil. O Ministério da Saúde não estabelece uma meta para a imunização dos gatos, mas ao todo, deverão ser vacinados 70 mil animais, entre caninos e felinos.

Nesta Sexta-feira – Devido à grande quantidade de animais nos bairros de Cruz das Armas e Mandacaru a vacinação nesses dois bairros pode ser realizada na sexta-feira (20). Basta que os donos de animais levem seus bichos, das 8h as 13h, ao Centro de Referência e Cidadania de Mandacaru ou à Associação dos Moradores da Comunidade do Baleado, em Cruz das Armas.

Confira os locais de vacinação deste ano através do link: http://midi.as/Antirrabica

Doença – A raiva é uma zoonose viral, que se caracteriza como uma encefalite progressiva aguda e letal. Todos os mamíferos são suscetíveis ao vírus da raiva e, portanto, podem transmiti-la. A doença apresenta dois principais ciclos de transmissão: urbano e silvestre, sendo o urbano passível de eliminação, por se dispor de medidas eficientes de prevenção, tanto em relação ao ser humano, quanto à fonte de infecção.

Raiva animal – Causada por um vírus, a raiva ataca diversos animais, inclusive o homem. A taxa de óbito das pessoas que adquirem a doença é de quase 100%. O cão, o gato e o morcego são os principais transmissores da raiva em áreas urbanas.

Quando uma pessoa é agredida por um animal, a exemplo do cão, gato, morcego ou sagui, é importante lavar bem a ferida com bastante água e sabão amarelo e procurar imediatamente um posto de saúde.

Mudança de comportamento – O animal raivoso apresenta mudança de comportamento, para de comer, esconde-se em locais mais escuros, tenta beber água sem conseguir engolir, procura fugir de onde está preso e morde tudo o que vê pela frente (objetos, animais e pessoas).

O animal também pode babar, ficar com o latido rouco e prolongado, parecendo um uivo, pode parecer que está engasgado com um osso, ficar sem andar e morrer. No entanto, não é obrigatório que o animal raivoso apresente todos esses sintomas simultaneamente.