Dia de Combate à Tuberculose é lembrado em evento em JP

Por - em 33

Nesta quinta-feira (24) de março, Dia Mundial de Combate à Tuberculose, a Prefeitura de João Pessoa, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em parceria com a Secretaria de Saúde do Estado (SES), realizaram um evento especial para alertar a população sobre a doença. A atividade aconteceu durante toda a manhã, no Ponto de Cem Réis, Centro da Capital.

Para atender a população e esclarecer as dúvidas sobre a doença foi montada uma estrutura com quatro tendas. Na primeira tenda, o Laboratório Central do Estado (LACEN – PB) disponibilizou um microscópio para que os visitantes pudessem visualizar o bacilo causador da tuberculose. Em outros espaços, profissionais da saúde fizeram avaliações sintomáticas da doença.

Os casos suspeitos foram encaminhavam para fazer o exame mais específico, chamado baciloscopia. Esse exame é feito gratuitamente no LACEN – JP e no LACEN – PB, Centro de Saúde Municipal do bairro de Mandacaru e no Hospital Clementino Fraga em Jaguaribe.

De acordo com Eveline Vilar, responsável pela coordenação da área técnica de tuberculose da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a conscientização da população da capital paraibana é importante. Ela chamou a atenção para os sintomas da tuberculose. “Tosse por mais de três semanas, já deve procurar o serviço de saúde para investigar, porque pode ser tuberculose.”

Apesar do medo das pessoas diante da doença, a coordenadora Eveline ressalta que tuberculose tem cura e a medicação é gratuita. “O tempo mínimo de tratamento é de 6 meses e a população pode procurar qualquer Unidade de Saúde da Família (USF), para o diagnóstico e tratamento”, assegurou.

Casos – De acordo com os dados divulgados pelo Sistema de Informação (Sinan), em João Pessoa, em 2010, foram registrados 420 casos de tuberculose, sendo 341 casos novos e 78 casos de pessoas que deixaram o tratamento e voltaram. Já em 2011, foram contabilizados 48 casos no total, sendo 40 casos novos e 8 de pessoas que tinham deixado o tratamento e voltaram.

O aposentado José Candido do Nascimento, 73, foi uma das pessoas atendidas pelas equipes de saúde. Ele afirmou que nunca fumou e que se sentia com boa saúde, mas para ele, nunca é tarde para se cuidar. “Está tudo em ordem comigo”, comemorou.

Já o outro aposentado Manoel Fernando da Silva, 62, relatou que já teve pneumonia e que por isso ficou 60 dias internado. “Tenho uma tosse frequente”, falou. Ele fez a avaliação com os médicos e foi encaminhado para fazer exames.