Direção da Funjope fala sobre ações e projetos em sessão na Câmara Municipal

Por - em 92

sessão câmara municipal_funjope_fotogilbertofirmino (138)Mais de R$ 18 milhões de investimento em equipamentos, infraestrutura e fomento cultural para a Capital paraibana. O montante é referente à implantação de políticas culturais no período de janeiro a dezembro de 2013 e foi anunciado pela direção executiva da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), na manhã desta terça-feira (5), na Câmara dos Vereadores, durante sessão extraordinária em homenagem ao Dia Nacional da Cultura.

Durante cerca de uma hora e meia, o diretor executivo da Funjope, Maurício Burity, falou sobre iniciativas como a abertura de canais de diálogo, os apoios oferecidos a projetos de fomento cultural, além das ações já realizadas pela Funjope desde janeiro e aquelas previstas para os próximos meses. “São R$ 18,8 milhões de investimentos em equipamentos, infraestrutura e fomento cultural. Não estamos incluindo nessa quantia os eventos”, destacou. “Com relação aos eventos, a nossa ideia é buscar parcerias para realizá-los, pois eles movimentam de nossa economia, especialmente no setor turístico”, disse.

Maurício Burity enfatizou a preocupação do poder público em ampliar os canais de diálogo com a população. Entre as iniciativas voltadas a esse objetivo, ele exemplificou as reuniões do Conselho Municipal e Cultura, as pré-conferências e a Conferência Municipal de Cultura. O diretor também lembrou que o prefeito deverá lançar em breve o Plano Municipal de Cultura. “Esse plano é importantíssimo porque ele conduzirá uma política cultural ao longo de dez anos”, enfatizou.

Outro destaque na fala do diretor da Funjope foi para a assinatura da adesão ao Sistema Nacional de Cultura. Isso aconteceu em abril deste ano, durante audiência entre prefeito Luciano Cartaxo e a ministra da Cultura, Marta Suplicy.

Ao falar sobre os editais lançados pela Funjope, Burity ressaltou que eles são importantes porque promovem o acesso democrático da classe artística e da população aos incentivos culturais de diferentes expressões. Entre os vários exemplos citados estão os editais Walfredo Rodrigues e Vídeo Poema Augusto dos Anjos, ambos voltados à produção audiovisual; o Roteiro das Paixões nos Bairros, incentivando a encenação teatral da Paixão de Cristo em diferentes localidades da Capital; e das Oficinas Culturais nos Bairros, que ofereceu R$ 265 mil a mais de 40 oficineiros com vistas à capacitação da população em diferentes regiões da cidade.

Também foi destaque o edital dos Pontos de Cultura, que chegou a R$ 3,6 milhões mediante convênio com o Ministério da Cultura e cujo lançamento da rede, formada por 20 entidades, será na próxima sexta-feira (8).

Na parte da tarde, a mesma de prestação de contas foi feita pelo diretor executivo adjunto da Funjope, André Coelho, para a sociedade civil e movimentos culturais, durante sessão especial também voltada ao Dia Nacional da Cultura.

Infraestrutura e descentralização – Ainda dentro da política pública de descentralização, algumas iniciativas voltadas à infraestrutura foram citadas. Entre elas está à assinatura da ordem de serviço do Centro Cultural de Mangabeira e também do Parque Casa da Pólvora, que vai revitalizar o monumento e transformá-lo em um complexo cultural e turístico. Outro equipamento enumerado foram os Centros de Artes e Esporte Unificado (Ceus), implantados em diferentes bairros da Capital.

Festival Internacional de Música Clássica e novas ações Para os próximos meses, o diretor executivo da Funjope anunciou algumas ações como à realização do Festival Internacional de Música Clássica, cujo lançamento aconteceu no mês passado, com o primeiro concerto da Orquestra Sinfônica Municipal – até então Orquestra de Câmara.

As novas ações também incluem o lançamento dos editais do Fundo Municipal de Cultura (FMC) e do Salão Municipal de Artes Plásticas (Samap), além Seminário de Economia Criativa, só para citar alguns exemplos. Também está em planejamento a criação de biblioteca, teatro e museu.