Diretor executivo da Funjope destaca investimentos no audiovisual e diz que segmento vive nova Era em João Pessoa

Por Juneldo Moraes - em 310

“O segmento do audiovisual de João Pessoa está em uma nova Era, sobretudo com os investimentos da Prefeitura, através do Edital Walfredo Rodrigues. Para termos uma ideia, em 2013 o investimento foi de R$ 1 milhão, e em 2014 foi de R$ 1.200.000. Em 2015 nós fizemos uma parceria com a Ancine e esse investimento passou a ser de R$ 3.400.000,00”, disse, nesta quarta-feira (6), o diretor executivo da Funjope, Maurício Burity na Mostra Funjope/FMC/Walfredo Rodrigues no 12º Fest Aruanda.

Para Maurício Burity, a parceria com a Agência Nacional do Cinema (Ancine) foi fundamental para o volume de recursos investidos. “Nunca na história do audiovisual da Capital se teve tantos recursos. Então eu posso dizer que é uma nova Era. João Pessoa é hoje, proporcionalmente, a terceira Capital onde mais se investe em cinema, segundo a Ancine. Acredito que muito em breve teremos uma grande produção de filmes, que tem reflexo na Paraíba, sendo divulgada nas telas do Brasil e de outros países, pois esses filmes percorrem os grandes festivais do exterior”, disse.

Mostra Funjope – No último dia do Fest Aruanda, que chegou à 12ª edição, foram exibidos os curtas-metragens “O terceiro velho”, de Marcus Vilar; “Universo hip hop – ParaíbaRap”, de Gerard Miranda; “A poeira dos pequenos segredos”, de Bertrand Lira e “Contínuo”, de Carlos Ebert e Odécio Antônio. Todos os quatro filmes foram financiados pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) com recursos do Edital Walfredo Rodrigues e do Fundo Municipal de Cultura (FMC).

Para o cineasta Marcus Vilar, diretor de “O terceiro velho”, um dos filmes exibidos nesta quarta-feira, a Mostra Funjope/FMC/Walfredo Rodrigues é muito importante. “O festival é uma janela para que as pessoas possam assistir filmes, inclusive os que não entram no circuito comercial. Então exibir esses filmes produzidos com recursos do Fundo Municipal de Cultura, com técnicos locais, artistas locais, é uma coisa muito boa”.

“O Fest Aruanda é muito importante. A gente recebe cineastas, atores, autores de outros estados. Nós tivemos esse espaço no último dia do festival para mostrar nossos curtas, mostramos nossa produção.Temos um edital só para o audiovisual, o Walfredo Rodrigues.Temos curtas e longas-metragens sendo produzidos agora com recursos dos nossos editais”, disse a diretora da Divisão de Audiovisual da Funjope, Marcélia Cartaxo.

Destaque – Além dos filmes da Mostra Funjope, outra produção financiada com recursos do FMC foi destaque na 12ª edição do Fest Aruanda. O curta-metragem “Hosana nas Alturas”, ficção de Eduardo Varandas, participou da Mostra Competitiva do Festival. O filme conta a história de Hosana, uma transexual feminina que trabalha como prostituta, e Normando é um homem que não aceita o fato de ser homossexual.