Diversidade de ritmos marca Festa das Neves neste domingo

Por - em 34

De 30 de julho a 5 de agosto, o sagrado e o profano se encontram em mais uma edição da Festa das Neves, que este ano traz uma diversidade de ritmos para fazer a alegria do pessoense. Na noite deste domingo (1º) será a vez do suingue do grupo Clube do Balanço, da salsa e do merengue da banda paraibana Capim Cubano e da mistura de ritmos do cantor e compositor João Linhares. A programação acontece no palco montado no Ponto de Cem Réis, a partir das 18h.

No tablado armado no mesmo local, a cultura popular terá espaço com as apresentações de Barca Santa Maria, de Bayeux; de Geraldo Mouzinho e Ginaldo Mouzinho e do Coco de Roda Mestre Benedito. A realização é da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) através de sua Fundação Cultural (Funjope).

O grupo Clube do Balanço é formado pelos músicos Marco Mattoli, (guitarra e voz), Edu Salmaso (baterista), Fred Prince (percussionista), Tiquinho (trombonista), Marcelo Maita (tecladista), Gringo Pirrongeli (baixista), Reginaldo Gomes (trompete) e Tereza Gama (voz). O repertório do show será composto por clássicos do samba rock como “Bicho do Mato”, “Zamba Bem” e “Paz e Arroz”, além de canções autorais como “Aeroporto”, “A Sereia e o Marujo”, “Sensacional Brenda Lígia”, “Preta Rara”, “Dentro dos Olhos Dela”, “Fazendo Nada”, “Samba Quebrado”, “Seu Alberto” e “Saudades da Preta”, entre outras.

Criado em 1999 para uma festa na COHAB I, na periferia de São Paulo, em 10 anos o Clube do Balanço tornou-se referência neste estilo musical. O grupo lançou três álbuns: “Swing & Samba Rock”,“Samba Incrementado” e Pela Contramão e já levou sua música para diversas cidades do Brasil e também para o exterior, a exemplo da Alemanha, Singapura, Áustria, Holanda, Itália, França, Inglaterra, Espanha e Finlândia.

Capim Cubano – Criada em 2003, a banda pessoense de ritmos latinos já emplacou sucessos como “Teresa Bandolera”, “Mentirosa” e “Eldorado”, que farão parte do repertório do show, além de músicas do novo CD, intitulado “Brasil Latino”, como “A mi maneira”, “Bamboleo”, “La Bamba”, “Si tú te vas” e “Ti quiero”, entre outras. Capim Cubano tem seis CD’s gravados e três DVD´s. A banda está lançando agora o 7° CD e este ano deu seu primeiro passo para a projeção internacional, tocando sucessos em rádios da Europa e Nova Iorque.

A formação atual é composta pelos músicos Caúzzo (voz), Clodoaldo Mucarbel (guitarra e violão), Stênio Alencar (baixo), Lula Nicácio (bateria), André Ricardo (teclado), André Miau (percussão), Diogo Duarte (trompete), Jorge (trombone) e Cláudio (trompete). A maior parte do repertório da banda é composta de músicas em espanhol.

“Tudo aconteceu muito rápido. De 100 pessoas em um bar em Recife para 16 mil pessoas na gravação do primeiro DVD, a contratação por uma grande produtora e a participação em programas de TV como Faustão, Hebe Camargo, Jô Soares, Gugu e Eliana. E é sempre um grande prazer tocar em João Pessoa, nosso berço, lugar que sempre nos acolhe com carinho. Isso só aumenta nossa vontade de dar o nosso melhor”, disse Stênio Alencar, integrante da banda.

João Linhares – O premiado cantor e compositor paraibano João Linhares irá apresentar ao público pessoense um repertório que passeia por uma diversidade de ritmos. O trabalho vem sendo desenvolvendo há algum tempo por ele e um grupo de músicos e bailarinos em São Paulo, cidade onde vive. Os músicos Nandel (trompete), Júnior (sax) e Xiquinho (percussão) irão acompanhar o cantor nessa apresentação.

“Esse trabalho traz uma mistura de ritmos como a salsa, o samba, música eletrônica e blues. Os dançarinos cantores, a exemplo dos bailarinos Juliana Korovichenko e Rômulo Tinetti, farão parte do show. Eles também irão cantar nesse show, que se apresenta em um formato diferente do habitual. Nas cidades onde passamos, o costume é convidar músicos locais para compor esse mosaico de ritmos e sons, o que tem dado muito certo, e em João Pessoa não será diferente”, destacou João Linhares.

João Linhares nasceu em Patos e aos 15 anos entrou na escola de música da Universidade Federal da Paraíba, onde estudou violão e violoncelo. Em 1981 ganhou o 1º Festival de Música Popular da ETFPB e em 1984 passou a integrar a Orquestra Sinfônica da Paraíba. João Linhares participou da banda do cantor Chico César, com quem fez a tournée mundial Mamma Mundi, tocando na Europa, Estados Unidos e Canadá e teve composições gravadas pelas cantoras Rita Ribeiro e Zizi Possi. Em 2001 ganhou o 1º Circuito Paulista de Festivais.

O cantor participou ainda da banda Falamansa, com quem fez tournée mundial tocando na Europa, Estados Unidos e Japão e gravou com eles o CD “Simples Mortais”, que inclui duas composições da sua autoria. Em 2003 recebeu convite do Maestro Roberto Sion para ser Regente Assistente da Orquestra Jovem Tom Jobim, em São Paulo. O músico paraibano tem dois CD’s gravados e, como arranjador, trabalhou para artistas como Lenine, Kid Abelha, Johnny Alf e Rosa Passos Donato, entre outros.

Cultura popular

Barca Santa Maria de Bayeux – Fundada pelo Mestre Joaquim, a Barca Santa Maria já teve como mestres Seu Orlando, Seu Cícero Campos e hoje é liderada pelo Mestre Jandaia, com sede em Bayeux, desde a década de 1980. Aproximadamente 40 integrantes compõem o grupo. Além da vivência comunitária estimulada pela brincadeira e os ensaios, a Barca já realizou diversas apresentações nos bairros da apital, como Tambaú, Jaguaribe, Bancários e Centro Histórico, entre outros.

Geraldo Mouzinho e Ginaldo Mouzinho – Geraldo Mouzinho teve grande parte de sua carreira como embolador, compondo a tão conhecida dupla Geraldo Mouzinho e Cachimbinho, com três CDs gravados. Atualmente, com o trabalho Geraldo Mouzinho e Ginaldo Mouzinho, faz a brincadeira em parceria com seu filho, também embolador. Desde criança, estimulado pelo pai, Ginaldo conviveu com todos os gêneros da poesia popular e hoje é poeta, cordelista, embolador, cantor e compositor.

Coco de Roda Mestre Benedito – O grupo é formado pelos filhos, netos, bisnetos, genros e amigos do falecido Mestre Benedito. Quem puxa a brincadeira hoje é Dona Teca, filha do Mestre. Ela conta que havia coco no lugar onde nasceu (Cruz do Espírito Santo), mas seu pai só começou a brincar de forma mais frequente quando se mudaram para Cabedelo. O grupo já gravou um CD e um DVD e tem muitas apresentações no currículo, além do Prêmio Culturas Populares 2007.