Documentário sobre Hip Hop é exibido no Cineclube Casarão 34

Por - em 39

Personagens como Marcelo D2, BNegão, Black Alien, entre outros artistas do rap, se revezam ao falar do movimento Hip Hop carioca no documentário ‘L.A.P.A.’ (2007, Rio de Janeiro), de Cavi Borges e Emílio Domingos. O trabalho audiovisual mostra como o famoso e boêmio bairro, que dá título ao filme, serviu de ponto de convergência aos MC´s e rappers fluminenses. O longa-metragem será exibido nesta quinta-feira (13), a partir das 19h30, dentro da programação do Cineclube Casarão 34. A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) e a entrada é franca.

Durante 75 minutos, ‘L.A.P.A.’ mergulha no universo Hip Hop, abordando as festas, o processo de composição e as referências do movimento. O trabalho mostra especialmente o cotidiano de quem busca sobreviver da música no País. Ao contarem histórias particulares, os personagens entrevistados transportam a Lapa para além das fronteiras geográficas, chegando a impressões de Niterói à Irajá. O bairro passa da memória clássica, que inclui sambistas e boêmios, até eventos atuais como Zoeira e as Batalhas do Real.

Ao olhar a obra como um todo, o espectador tem a sensação de que o filme pinta um painel atual da cultura no Rio de Janeiro, alinhavando os depoimentos pessoais à cena musical da cidade. Nessa costura, fica evidente que o documentário não tem a pretensão de contar a história de um movimento, mas sim de fazer um recorte dele e situá-lo no lugar merecido da cena artística brasileira.

A fotografia de ‘L.A.P.A.’ é de Paulo Castiglioni e Tiago Scorza. O filme faz parte do projeto ‘Distribuição Criativa’, criado para distribuir trabalhos audiovisuais nacionais de baixo orçamento, facilitando o acesso da população a essas produções.

O Casarão 34 fica localizado na Avenida Visconde de Pelotas, nº 34, Centro de João Pessoa. Mais informações podem ser adquiridas pelo telefone (83) 3218-9708. O local fica aberto de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Prêmios e festivais – ‘L.A.P.A.’ recebeu Menção Honrosa na Mostra do Filme Etnográfico 2007 e foi considerado melhor filme pelo Júri Popular no Festival Caramundo 2008, em Rotterdam (Holanda).

O trabalho de Cavi Borges e Emílio Domingos também percorreu os seguintes festivais: London Film Festival – film showcase 2007; Mostra do Filme Etnográfico 2007; Festival Maranhão na Tela 2007; Caramundo Rotterdam 2008/ Festival Brasileiro de Miami 2008; Festival Cinema-se 2008 – SP / Festival Iguacine 2008; Mostra Novos Nomes 2008 – RJ; Festival de Cinema de Cabo Frio 2008 – RJ.