Durval autoriza reformas em praças de Jaguaribe e Ipês

Por - em 30

O prefeito em exercício de João Pessoa, Durval Ferreira (PP), autorizou na manhã desta quarta-feira (6) o início dos trabalhos de reforma das praças João XXIII e Tarcila Franca, localizadas no Jardim Glória (Jaguaribe) e no Bairro dos Ipês, respectivamente. As intervenções necessárias ao início das obras começam na semana que vem. Além de visitar esses dois locais, acompanhado pelo secretário de Infra-Estrutura, João Azevedo, o dirigente municipal conheceu o acervo disponível no prédio do Arquivo Afonso Pereira, no Bairro de Jaguaribe.

“Sugeri a reforma na praça dos Ipês e também na do Jardim Glória por conta do Arquivo Afonso Pereira, que é freqüentado por várias pessoas. A Praça João XXIII está sendo utilizada até como estacionamento. É preciso fazer com que ela volte a ser como era antigamente”, observou Durval Ferreira.

De acordo com o secretário de Infra-Estrutura, os trabalhos solicitados pelo prefeito em exercício serão iniciados em breve. “O prefeito determinou e na próxima semana já devemos começar a fazer a reforma. Isso será executado dentro do Programa de Recuperação de Praças”, observou João Azevedo.

Arquivo – Antes de visitar os logradouros, Durval Ferreira esteve no número 78 da Rua Maximino Chaves, no Jardim Glória, em Jaguaribe, que fica em frente à Praça João XXIII. No prédio, funciona o Arquivo Afonso Pereira. O acervo revela aspectos sobre a história da educação e cultura da Paraíba, bem como o nascimento de várias instituições de arte e ciências no Estado.

O local é composto por mais de 20 mil documentos de vários gêneros. Tudo é organizado em salas, podendo ser encontradas informações a respeito das atividades desenvolvidas pelo patrono, falecido em junho deste ano, e sobre as instituições ligadas diretamente a ele. O Arquivo Afonso Pereira foi criado há dez anos, como presente de aniversário ao marido da hoje viúva Clemilde Torres Pereira da Silva. “O gabinete, por exemplo, foi preparado com as melhores técnicas para que o material fique guardado e seja usado para pesquisas”, disse ela, que é diretora-presidente da instituição.