Educadores do projeto Filhos da EJA participam de formação continuada

Por Alexandre Quintans - em 1080

Trinta e três educadoras que fazem parte do projeto ‘Filhos da EJA’, da Secretaria de Educação e Cultura de João Pessoa (Sedec-JP), participaram de mais uma etapa do processo de formação continuada. A capacitação, que está em sua terceira edição, é ofertada por meio da Coordenação de Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A palestra, realizada nesta quarta-feira (14) na Faculdade Maurício de Nassau, foi comandada pela professora de Artes da Escola Municipal Frutuoso Barbosa e Monteiro Lobato, Gigliola de Lima Melo. No encontro, ela focou sobre o trabalho com os jogos teatrais em sala de aula. “Trabalhamos tudo de uma forma lúdica. Mostramos a importância de trabalhar a coletividade com essas crianças. Tem que ser um momento proveitoso para elas. Nesse campo teatral trabalhamos a expressão corporal do corpo”, explicou a professora.

O projeto ‘Filhos da EJA’ possibilita que enquanto as mães estão assistindo aula, as crianças fiquem aos cuidados de uma educadora, em uma sala na mesma unidade de ensino. Nesse período, os filhos das alunas participam de atividades lúdico- pedagógicas, entre outras. A iniciativa tem a proposta de evitar a evasão escolar.

O coordenador da EJA no município, Adriano Soares da Silva, explicou a importância dessa formação. “O trabalho é de extremo valor para a continuidade dos estudos dessas mães alunas da EJA que não têm com quem deixar o filho. Essa iniciativa é importante para aumentarmos o índice de escolaridade da população pessoense e, consequentemente, diminuirmos o índice de analfabetismo”, ressaltou.

Os encontros da formação continuada serão mensais, com uma carga horária de 4h cada. No mês de dezembro, os participantes que atingirem uma carga horária de 32h receberão um certificado. A cada mês será trabalhado uma temática, abordando assuntos como musicalidade, origami, teatro de fantoche, materiais recicláveis, contação de história e resgate da cultura popular.

“Temos uma grande responsabilidade com essas crianças, não só ficando com elas enquanto as mães estão assistindo aula, mas aproveitando o momento para desenvolvermos o conhecimento dos filhos. E sem falar da nossa realização em poder proporcionar isso para as mães que não tiveram uma oportunidade de estudar durante a infância”, disse Gissiê Elias, que é educadora do projeto na Escola Municipal Presidente João Pessoa.