Eleonora Falcone e Orquestra de Câmara fazem concerto especial

Por - em 53

O concerto da Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa (OCCJP), com a participação especial da cantora e compositora Eleonora Falcone, é uma das atrações da inauguração da Estação Cabo Branco, que acontece na quinta-feira (3), a partir das 17h. Na ocasião, também se apresentam a Banda 5 de Agosto e as quadrilhas juninas ‘Sanfona Branca’, de Mangabeira, e ‘Macambira’, da cidade de Cabedelo, campeãs do ‘12º Arraial do Varadouro’. E, para encerrar o evento, grande show com o cantor Beto Guedes.

O complexo, localizado no Altiplano Cabo Branco, no extremo oriental das Américas, e projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, foi construído pela Prefeitura Municipal (PMPJ) e financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, com o objetivo de apoiar e difundir atividades científicas, artísticas e culturais.

Concerto – Sob a regência do maestro Gustavo Paco de Gea, o concerto será executado no Auditório da Estação Ciência, unindo a música erudita e a popular. Na ocasião, a artista vai interpretar seis canções do seu mais recente CD, intitulado ‘Eu tenho um pedaço de sol que guardo comigo desde menina’.

Estão presentes no repertório, as composições autorais ‘O homem com cheiro de mar’, feita em parceria com Val Velloso; ‘Passará’, de Pedro Osmar e Paulo Ró; ‘Carro de boi’, de Erivan Araújo e Aderson Graciano; ‘Ô serena serená’, de Odete de Pilar; ‘Carta de amor’ e ‘Pedaço de sol’, ambas feita em parceria com o saudoso poeta Lúcio Lins, e ainda ‘Meu sublime torrão’, de Genival Macedo.

Os arranjos, adaptados do CD para a Orquestra, foram criados por Carlos Anísio e Rogério Borges, e terão a participação de Léo Meira (guitarra e violão) e Helinho Medeiros (acordeom), músicos que acompanham a artista em seus shows.

A artista – Nascida em João Pessoa (PB), Eleonora Falcone iniciou sua carreira de cantora e atriz no Rio de Janeiro. Em 2000 lançou o seu primeiro CD, o independente ‘Apetite’, onde apresenta canções de sua autoria e dialoga com nomes da cena musical carioca atual, como Pedro Luís, Marcos Sacramento, Luís Capucho e Suely Mesquita.

A música de Eleonora enquadra-se no gênero MPB contemporânea. Em seu novo trabalho, acompanhada por um trio de guitarra/violão, baixo e bateria, formação pop clássica reforçada pelos timbres de acordeom, violoncelo e percussão, ela explora as relações entre a música pop contemporânea e os diversos estilos nordestinos e brasileiros, estabelecendo um diálogo entre a tradição e a contemporaneidade.

“Me sinto duplamente feliz e emocionada com o convite. Pelo meu reencontro com a orquestra, com quem já havia cantado no concerto de abertura de sua temporada de 2005, agora apresentando canções de meu CD ‘Eu tenho um pedaço de sol que guardo comigo desde menina’ e por cantar na inauguração de um espaço que terá grande importância para a vida científica, cultural e artística de João Pessoa”, observa a cantora.

A orquestra – Atualmente, a Orquestra de Câmara desenvolve quatro tipos de projetos voltados para a disseminação da música na Capital, que são os concertos nos bairros, destinados ao público em geral e realizados em prédios de igrejas e paróquias existentes na cidade; concertos didáticos, que acontecem mensalmente e são dirigidos a alunos das redes públicas municipal e estadual, numa parceria com a Secretaria de Educação e Cultura (Sedec); os concertos oficiais e os comemorativos, que ocorrem em datas que celebram eventos como a Semana Santa, aniversário da cidade, festa da padroeira e Natal.

A Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa foi criada em 2001 por iniciativa da Secretaria de Educação e Cultura municipal. Atualmente, sob a coordenação da Fundação Cultural (Funjope), é integrada por 40 jovens instrumentistas escolhidos especialmente pela qualidade individual, tendo no grupo a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos.

A orquestra é um espaço musical de preparação artístico-profissional de jovens músicos, que podem dar continuidade à sua formação musical e ser treinados para orquestras profissionais e, principalmente, levarem música de qualidade à população pessoense.