Em sua 4ª edição, Humanizar coloca motoristas e cobradores no lugar de pessoas com deficiência

Por Arthur Araújo - em 264

Teve início na manhã desta sexta-feira (22) as atividades da 4ª edição do Programa Humanizar, que em 2019 traz o tema ‘Humanização para o Transporte de Pessoas com Necessidades Especiais’. Na Estação das Artes, a primeira turma de operadores do sistema de transporte urbano sentiu na pele as dificuldades sentidas por pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida.

“Os operadores estão podendo ter essa experiência de vivenciar as situações e se colocar no lugar do outro”, afirmou o superintendente de Mobilidade Urbana de João Pessoa, Adalberto Araújo, que abriu a nova etapa do programa. De acordo com ele, o objetivo é mudar as relações entre operadores e atendentes, melhorando o serviço. “Estes profissionais são de grande importância por estarem na ponta do sistema. Esse trabalho age de forma eficiente por funcionar de baixo para cima”, explicou.

A primeira turma, com 25 operadores, teve acesso a aulas teóricas e conceituais sobre deficiência, tipologias, legislação e boas práticas. Além disso, os profissionais foram expostos a situação de acesso ao transporte coletivo em cadeiras de roda e com pesos nas pernas, simulando a dificuldade de locomoção. Ao final do projeto, cerca de dois mil motoristas, cobradores e líderes de campo terão passado pelas atividades.

O motorista Luciano Almeida afirmou que as aulas o fizeram sentir algo que antes não compreendia. “Coloquei os pesos para subir as escadas e ficou mais difícil, sem forças. Dá medo de o ônibus partir antes de concluir a subida. E na cadeira a sensação é de que estava desprotegido. É muito difícil e isso nos faz mudar nossa forma de agir”, afirmou.

Para o cobrador Adegailson Ferreira, a manhã mudou a percepção dele sobre o tema. “A aula é muito esclarecedora, dá outra visão pra gente. Na prática é tudo muito realista, mais fácil entender o quanto eles sofrem e nos mostra a real necessidade”, declarou.  

De acordo com a psicóloga Sandra Araújo, uma das idealizadoras do projeto, o tema fala em pessoas com necessidades especiais porque pretende ir além das deficiências, incorporando também as limitações de gestantes, obesos e idosos, por exemplo. A temática foi definida pela avaliação dos profissionais de sua importância, baseada principalmente nas reclamações registradas pelos usuários junto à Semob-JP.

As aulas são programadas e ministradas com a parceria do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat). Ainda estiveram presentes na abertura representantes do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivos Urbanos de João Pessoa (Sintur-JP) e o vereador Marmuthe Cavalcanti, que atua na causa sendo autor de leis que incentivam e ampliam a acessibilidade no transporte.

Programa – O Humanizar tem sido realizado desde o ano de 2016. Na primeira edição, o foco da iniciativa foi a motivação, relações interpessoais, comunicação e inteligência emocional dos quase dois mil motoristas, cobradores e despachantes. Os resultados da iniciativa foram reconhecidos no ano passado, com a vitória no prêmio “Ser Humano” da Associação Brasileira de Recursos Humanos na Paraíba (ABRH-PB).

Em 2017, o programa trabalhou a questão da liderança, dessa vez atuando diretamente com 300 despachantes e chefes de tráfego das empresas de ônibus. Já em 2018 trouxe o tema “Motorista Amigo do Ciclista”, que teve como meta a criação de um melhor ambiente de compartilhamento das vias públicas entre os ônibus e os usuários de bicicletas.