Emlur alfabetiza agentes de limpeza e resgata cidadania

Por - em 42

Resgatar a cidadania e erradicar o analfabetismo entre os agentes de limpeza. Esses são os principais objetivos do projeto de alfabetização de adultos desenvolvido pela Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), através do ‘Programa Brasil Alfabetizado’, uma iniciativa do Governo Federal que conta com a participação da Prefeitura de João Pessoa.

A aula inaugural com os servidores foi realizada na manhã desta segunda-feira (14) na Administração da Emlur do bairro Jardim 13 de Maio. Na ocasião, houve a distribuição de kits com o material escolar que deverá ser utilizado durante as aulas.

Nos três turnos – Nessa primeira etapa, 158 servidores que trabalham nas administrações da autarquia deverão ser alfabetizados. Para que todos pudessem participar das aulas, foram disponibilizadas turmas nos três turnos. Oito professores, previamente capacitados, ficarão responsáveis pela alfabetização. Cada uma das aulas terá a duração de duas horas e meia, sempre de segunda a quinta-feira.

Respeito – Um dos alunos do curso de alfabetização é Wilson Alves Patrício, 54 anos. Ele trabalha há 13 anos na Emlur e disse ficou feliz com a oportunidade de se alfabetizar. “Nunca estudei e estou tendo esta oportunidade, por isso irei aproveitar muito. Tenho um objetivo na minha vida que é ler e escrever, pois só assim poderei trabalhar com mais dignidade e respeito”, comentou.

Ele disse ter trabalhado na agricultura e não teve tempo de estudar quando mais novo, mas ressaltou que nunca é tarde para aprender. “Eu vi na televisão a história de um homem de mais de 80 anos que se formou. Então não tem idade para começar a estudar”, afirmou.

A agente de limpeza Ivete Torres dos Santos, 43 anos, também aproveitou a oportunidade para aprender a ler e escrever. A mulher, que trabalha há 17 anos na Emlur, contou que já estudou até a 4ª serie. “Mas, isso faz muito tempo, agora voltei a estudar novamente para poder escrever bem, ler placas, aprender coisas maravilhosas com a leitura e realizar meu sonho que é ser advogada”, disse, acrescentando que seu objetivo, além de me formar, é ajudar as pessoas.

O diretor administrativo financeiro da autarquia, Coriolano Coutinho, que participou da aula inaugural, destacou a importância de saber ler e escrever. “É fundamental que todos sejam alfabetizados. Possibilitar a oportunidade de estudar significa promover o resgate da cidadania e dar oportunidade de se conquistar coisas novas e ampliar os horizontes”, comentou.

Como funciona
– O ‘Brasil Alfabetizado’ é um programa contínuo que funciona por meio do repasse direto dos recursos para estados e municípios responsáveis pela execução dos cursos, reduzindo a burocracia. As aulas têm duração de oito meses e são aceitas diversas metodologias de ensino, definidas conforme as características da entidade de ensino e das particularidades do público atendido. Além de inserir o adulto na escola, o Brasil Alfabetizado tem a finalidade de manter o aluno no sistema de ensino.

Índice – Um levantamento feito pela Divisão de Capacitação da Emlur detectou um índice de 19% de analfabetismo entre os servidores que trabalham nas administrações (agentes de limpeza e encarregados), auxiliares de serviços gerais e vigilantes. No total foi pesquisada a escolaridade de 830 servidores e desses 482 (58%) tinham 3ª e 4ª série do ensino médio ou curso superior; 194 (23%) haviam cursado a 1ª ou 2ª série do ensino fundamental e os 154 (19%) restantes não são alfabetizados.