Emlur comercializa 32 toneladas de material recolhido na coleta seletiva

Por - em 32

A Emlur já está comercializando por mês 32 toneladas de material que é recolhido através do projeto ‘Acordo Verde’, que implantou uma nova etapa da coleta seletiva em João Pessoa. Em seis meses de atividade, mais de dez mil residências aderiram à iniciativa e hoje 35 agentes ambientais cadastrados no Acordo sobrevivem da venda do material reciclável (papel, vidro, metal e plástico), o que representa uma renda mensal de um salário mínimo. Esse foi um projeto piloto, que deverá ser expandido para outras áreas da Cidade ainda esse ano com a construção de quatro novos núcleos de coleta seletiva.

“O Acordo Verde é uma referência nacional em coleta seletiva e educação ambiental. A ele estão agregadas a responsabilidade social, proteção ambiental e prestação de serviços, pois criamos um banco onde o agente ou alguém da sua família terá a oportunidade de oferecer algum trabalho que saiba desenvolver para o morador que participa do projeto”, explicou a superintendente da Emlur, Laura Farias Gualberto.

O projeto atende os bairros Anatólia, Jardim São Paulo, Jardim Cidade Universitária, Bancários e Mangabeira. Através do ‘Acordo Verde’, as pessoas que moram na região se comprometeram a fazer a separação dos resíduos, com a assinatura de um acordo simbólico. Já os catadores têm o compromisso de fazer o recolhimento e entregar o ‘saco verde’ para que o morador continue fazendo a separação do lixo seco do úmido e doando esse material.

De acordo com a superintendente, outros projetos serão expandidos através do ‘Acordo Verde’, sendo eles o ‘Não vai pelo ralo’, que coleta óleo de cozinha usado para fazer sabão ecológico e o ‘Papa Pilhas’ de coleta de pilhas e baterias, desenvolvido em parceria com o Banco Real. O projeto também se propõe a promover o resgate da cidadania, por isso, os agentes ambientais estão recebendo aulas de alfabetização. No Núcleo foi implantada uma sala, onde os agentes assistem aulas antes de ir trabalhar.

Coleta na cidade
– A Coleta Seletiva em João Pessoa já atende 19 bairros de João Pessoa. Juntos, eles garantem uma renda mensal de um salário mínimo para as famílias de 221 agentes ambientais que vivem da venda de material reciclável. A produção anual de recicláveis em 2007 chegou a 4.965 mil toneladas.

Ao todo, estão espalhados pela Cidade quatro núcleos de coleta seletiva e um Centro de Triagem, que fica localizado no Aterro Sanitário Metropolitano. Ainda para esse ano está prevista a implantação de quatro novos núcleos de coleta seletiva, sendo um em Tambauzinho, um no Valentina Figueiredo e dois no Conjunto Residencial Gervásio Maia.

Coleta seletiva em entidades diversas – A Emlur também vem trabalhando para levar a coleta seletiva para repartições públicas, associações e instituições de ensino, através do projeto ‘Santo de Casa faz Milagre’. No ano passado a Autarquia implantou essa forma de separação de resíduos nas repartições públicas municipais. Todas as semanas são realizadas visitas para implantação do projeto em novos lugares.