Emlur disponibiliza pontos para facilitar recolhimento de material reciclável

Por - em 23

Para otimizar o trabalho dos agentes ambientais (catadores), a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) implantou nos bairros atendidos pelo ‘Acordo Verde’ locais para que o material reciclável recolhido nas residências seja colocado de forma provisória. Esses pontos receberam o nome de ‘bandeiras seletivas’ e servem para que os agentes agilizem o repasse dos materiais até o Núcleo de Coleta Seletiva, localizado no Jardim Cidade Universitária.

Ao todo foram instaladas sete ‘bandeiras seletivas’, sendo duas nos Bancários, um em Anatólia, duas em Mangabeira e duas no Jardim Cidade Universitária. “Esses pontos foram instalados em locais estratégicos. Os bairros atendidos pelo ‘Acordo Verde’ são muito extensos. Por isso, antes de chegar até o final deles, os catadores já estão com os seus carrinhos cheios. Para que eles não tenham que retornar ao núcleo para descarregar o material que coletaram, criamos esses pontos, onde deixam os materiais recicláveis e retornam para o seu trabalho”, explicou a superintendente da Emlur, Laura Farias Gualberto.

O material colocado nas ‘bandeiras seletivas’ é coletado por um caminhão, que foi disponibilizado pela Emlur para realizar esse trabalho. “O material não fica por muito tempo naqueles pontos. Ele é depositado por volta do meio-dia e antes das 15 horas o nosso caminhão já passa fazendo o recolhimento e levando o lixo reciclável para o núcleo”, informou a superintendente. Ao chegar ao núcleo, o material é separado, prensado (no caso metal, plástico e papel) e, posteriormente, comercializado.

Realidade – O projeto ‘Acordo Verde’ está implantado a coleta seletiva nos bairros de Anatólia, Jardim São Paulo, Jardim Cidade Universitária, Bancários e Mangabeira. Ele está garantindo renda para a família de 30 agentes ambientais. “Este é um projeto pioneiro, que posteriormente será levado para outros bairros da cidade. No futuro pretendemos criar um banco de serviços, onde os agentes e seus familiares possam oferecer algum tipo de trabalho que desenvolvam, a exemplo de limpeza de jardim, lavagem de roupa, faxina, entre outros”, explicou o diretor Administrativo Financeiro da Emlur, Coriolano Coutinho.

Com o ‘Acordo Verde’, a Emlur tem a meta de atender cerca de 20 mil residências com a coleta seletiva, que juntos tem a capacidade de produzir 270 mil quilos de material reciclável mensalmente. Com o programa, a população se compromete a fazer a separação do lixo seco (vidro, papel, plástico e metal) do úmido e doar o material para o agente ambiental. Já o catador assume o compromisso de fazer o recolhimento do material doado no dia marcado e ainda entregar o “saco verde”, para que a população continue fazendo a separação dos resíduos.