Emlur faz sabão a partir de óleo de cozinha, em sua sede

Por - em 27

A Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) começou a produzir dentro de sua sede (na Avenida Minas Gerais, 177, Bairro dos Estados) sabão a partir do óleo de cozinha. O trabalho está sendo realizado pelos integrantes da Oficina de Artes do órgão. Todo o material produzido, cerca de duas mil barrinhas de sabão, será distribuído durante a Semana do Meio Ambiente, promovida pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) no período de 4 a 6 de junho. O objetivo da iniciativa é chamar a atenção da população para a necessidade de reaproveitar o óleo de cozinha e mostrar que esse material, poluidor do meio ambiente, pode ser transformado em sabão de excelente qualidade.

Desde o ano passado, a Emlur lançou o projeto ‘Não vai pelo ralo’ e vem coletando óleo de cozinha usado para transformar em sabão ecológico. Tudo que era recolhido vinha sendo encaminhado ao Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet), mas a partir de agora a Emlur também fará a confecção do produto. Para produzir o sabão, servidores autarquia passaram por um treinamento ministrado por profissionais do Cefet, que já trabalham na transformação do óleo de cozinha.

Etapas – Primeiro, o projeto foi implantado dentro do restaurante da Autarquia e entre os servidores e depois chegou às barracas da orla marítima de João Pessoa. Agora, o ‘Não vai pelo ralo’ está sendo levado para 19 bairros da Capital que são atendidos pela coleta seletiva.

Além disso, a Emlur é parceira de outra iniciativa de recolhimento desse tipo de produto, o ‘Óleo Cultural’, onde a coleta é realizada através da Associação Não-Governamental Anjos Verdes (Agav), localizada no Bairro do Geisel. Todos os meses são coletados cerca de um mil litros de óleo.

A produção
– O processo de produção do sabão é simples, mas demanda um pouco de tempo. Para cada cinco litros de óleo utilizados são produzidas 50 barras de sabão a um custo de R$ 4,50. O óleo de cozinha usado é misturado a soda cáustica e essência. Depois, esse material é mexido durante 45 minutos e depositado em recipientes. As barras de sabão só podem ser cortadas depois de 48 horas, quando já estarão prontas para o uso.

A superintendente da Emlur, Laura Farias Gualberto, lembrou que a iniciativa está sendo desenvolvida como forma de preservar o meio ambiente. “Tínhamos uma preocupação muito grande com óleo de cozinha usado, uma vez que quando é jogado em local inadequado causa sérios danos ao solo e água, além de entupir os canos de residências. Através desse projeto, estamos evitando a poluição e ainda transformando esse material que era jogado fora em sabão de excelente qualidade”, destacou.

Núcleos de coleta – Laura Farias pediu ainda a colaboração da população para juntar – em garrafas pet – o óleo de cozinha usado e encaminhar esse material para o reaproveitamento. Confira, a seguir, os endereços onde você pode deixar o óleo produzido em sua casa:

– Núcleo do Cabo Branco – Avenida Paulino Perito, s/n (ponto de referência: entre a antena da Vésper e o ‘Posto Cabo Branco’);

– Núcleo Bessa – Por trás terminal de ônibus 5010;

– Núcleo Mangabeira – Rua Manoel Roberto Nascimento, s/n (por trás do CAIC);

– Núcleo 13 de maio – Avenida Espírito Santo, s/n;

– Sede da Emlur – Avenida Minas Gerais, 177, Bairro dos Estados.