Emlur implanta ‘ecobarreira’ no rio Jaguaribe para conter lixo

Por - em 32

A Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) implantou uma ‘ecobarreira’ experimental no rio Jaguaribe, no trecho que fica entre o bairro São José e a comunidade Chatuba. As ‘ecobarreiras’, já utilizadas com sucesso no Rio de Janeiro em rios da Baía da Guanabara, servem para conter o avanço do lixo jogado indevidamente pela população nas águas.

A ‘ecobarreira’ é um instrumento criado para reter o lixo dos mananciais, impedindo que ele chegue à foz e se espalhe por toda extensão do rio. Como o nome sugere, elas funcionam como barreiras construídas com material flutuante (bombonas e garrafas plásticas) para conter o avanço do lixo jogado na água.

Segundo o diretor de Operações da Emlur, Orlando Soares, a que foi implantada no rio Jaguaribe é uma adaptação do equipamento usado na Capital fluminense. A ‘ecobarreira’ foi confeccionada pelos artesãos da Oficina de Artes da Emlur com material reaproveitável como garrafas plásticas PET e tela de plástico usadas em construção.

“Com o lixo retido pela ‘ecobarreira’, fica mais fácil para os agentes da limpeza coletarem os resíduos em locais onde as máquinas como escavadeiras e caminhões não têm acesso. Estamos em fase de experimentação, se der certo, iremos colocar ‘ecobarreiras’ ao longo de todo o rio Jaguaribe”, frisou .

Paliativo – No entanto, Orlando Soares deixou claro que essas barreiras são apenas paliativos. Ele ressaltou que esse instrumento não é a solução final para o problema do acúmulo de lixo e detritos nos rios da Capital paraibana. “O ideal seria que as comunidades ribeirinhas não jogassem lixo dentro dos rios”, afirmou.

Além de garrafas plásticas, papel e copos descartáveis, a equipe de Operações Especiais da Emlur já encontrou, no Jaguaribe, objetos como sofás, mesa, colchões, carcaças de computador, televisão, documentos pessoais, pneus, entre outros.

Limpeza – A limpeza do rio Jaguaribe começou em março pela foz e se estenderá até a nascente, nas Três Lagoas, em Oitizeiro (13,5km). Essa operação tem por finalidade melhorar a vazão de água do rio com a retirada superficial de vegetação e lixo. Já foram retiradas do rio mais de 800 toneladas de destes materiais.

O superintendente da autarquia, Coriolano Coutinho, está atento à limpeza do mais importante rio da cidade, que corta vários bairros. Para ele, a revitalização do Jaguaribe é de extrema importância não só na preservação do meio ambiente, como na melhoria de qualidade de vida da população ribeirinha.