Emlur inicia campanha ‘Declare seu amor por você. Se toque’

Por Ângela Costa - em 299

‘Declare seu amor por você. Se toque’. A frase marcou a abertura da campanha Outubro Rosa na Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur). Dezenas de mulheres compareceram, na manhã desta quinta-feira (10), ao pátio central da empresa para participar da atividade, cuja programação segue até o fim do mês alertando as servidoras para a importância de se prevenir contra o câncer de mama.

Lucius Fabiani, superintendente da Emlur, ressaltou a importância da campanha, relevando que a mãe morreu de câncer aos 42 anos. “Essa perda me marcou bastante. É uma doença que aflige toda a família, por isso estamos sempre nos empenhando para sensibilizar a todos sobre a importância de se cuidar sempre, não só no mês de outubro”, disse.

O evento teve em sua abertura a palestra do mastologista Dagmar Oliveira Júnior, que atende no Hospital Universitário Lauro Wanderley. O especialista ressaltou as medidas de prevenção como melhor opção de combate ao câncer de mama – doença mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo.

“Por essa razão, a palavra chave é a prevenção porque, quando descoberta precocemente, a doença tem cura. É importante que mulheres a partir dos 40 façam a mamografia todos os anos”, disse o médico, que destacou ainda que homens também são passíveis de ter câncer de mama, embora com incidência de apenas 1%.

A programação do Outubro Rosa na Emlur segue durante todo este mês com visitas aos Núcleos de Serviço e encaminhamentos a atendimentos médicos como mastologistas e aos exames de mamografias. “Haverá consultas com clínico geral e especialista da área, atendimento psicológico, odontológico e avaliação nutricional, além de vacinação (DT-tríplice viral e DST), cuidados com a beleza, corte de cabelo, pintura, penteados, maquiagem, manicure, pedicure e limpeza de pele”, informou Damiana Rodrigues, chefe da Divisão de Bem Estar Social (Dibes) da Emlur.

Segundo ela, a Dibes acompanhou nos últimos anos o tratamento de três servidoras que tiveram câncer de mama, sendo que duas passaram pela experiência de amputação da mama. “É uma fase difícil para a mulher e aqueles que a rodeiam. Por essa razão, temos a preocupação de dar toda assistência. Esse acompanhamento inclui atendimento médico, odontológico, nutricional e psicossocial”.