Emlur inicia capacitação para o Núcleo de Artesões da Capital

Por - em 25

Sessenta jovens, filhos de servidores e agentes de limpeza da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), foram selecionados para participar do Projeto ‘Oficina Mãos do Futuro’. O objetivo principal é criar até o final do ano um Núcleo de Artesões na capital paraibana para a produção de peças de arte e decoração com material reciclável.

Além de despertar uma consciência para a preservação do meio ambiente e o uso correto dos recursos naturais, o projeto ‘Oficina Mãos do Futuro’ ainda garantirá uma profissão autônoma, gerando renda e melhorando a qualidade de vida das famílias.

Para viabilizar o projeto, a Emlur, dentro da proposta de intersetorialidade do governo municipal, firmou parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável da Produção (Sedesp) para que os aprendizes façam parte do programa ‘Juventude Cidadã’, promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), que terá sua aula inaugural na tarde desta quarta-feira (1º), no Clube Cabo Branco, em Miramar.

O projeto ‘Oficina Mãos do Futuro’ foi desenvolvido pela Emlur para proporcionar geração de renda e a inclusão de jovens no mercado de trabalho. Eles vão produzir artesanato proveniente de materiais recicláveis como garrafas de plástico, papel, vidro e metal.

O grupo foi escolhido para participar do projeto após um curso realizado em abril pela equipe de artísticos plásticos e artesões da Oficina de Artes da autarquia, para identificar potenciais jovens artesões. Os alunos foram selecionados de acordo com as aptidões que mostraram para as artes plásticas.

Durante as aulas práticas e teóricas da ‘Oficina Mãos do Futuro’, esses jovens terão oportunidade conhecer materiais recicláveis, a prática dos 3 R’s ( reduzir, reutilizar, reciclar) e técnicas que transformam lixo em peças de decoração, bijuterias, esculturas e móveis, entre outras.

O superintendente da Emlur, Coriolano Coutinho, aposta na criação desse Núcleo de Artesões como uma oportunidade para profissionalizar os jovens e inseri-los no mercado de trabalho. “Na medida em que o poder público investe e proporciona as condições e ferramentas indispensáveis para se alcançar o bem-estar das pessoas mais carentes, está não só dando a oportunidade de crescimento, mas também resgatando sua dignidade”, enfatizou o titular da pasta.