Emlur inicia Projeto Reciclagente, para filhos de agentes de limpeza

Por - em 39

Começa nesta quarta-feira (24) a primeira das três oficinas de arte direcionadas aos filhos dos agentes de limpeza da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), que estão participando do Projeto Reciclagente. Segundo a chefe da Divisão de Bem Estar Social, Aparecida Pontes, o objetivo da iniciativa promovida pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) é despertar nas crianças e jovens a importância do processo de reciclagem do lixo, possibilitando também a interação entre empresa e família, além do compromisso social que o projeto tem com a cidade e o meio ambiente.

Durante as oficinas, os cerca de 60 alunos inscritos irão aprender técnicas de manuseio de materiais que podem ser reutilizados na confecção de peças de artes, como metal (latinhas de refrigerante e cerveja), papel (jornais, revistas, papelão), vidro (utilizado para produtos industrializados) e plástico (garrafas pet). Os participantes terão ainda noções de educação ambiental. As aulas acontecerão na sede da Emlur, localizada no Bairro dos Estados, no horário da manhã (das 8 às 11h) e à tarde (das 14 às 17h).

“Tivemos a preocupação de disponibilizar dois horários para não atrapalhar a vida escolar dos jovens. Então, quem estuda pela manhã participa das oficinas à tarde e vice-versa. Além das aulas totalmente gratuitas, os alunos vão ganhar todo o material didático”, explicou Aparecida.

Prêmios – Durante as oficinas, os alunos irão confeccionar objetos de decoração. Todo o material produzido será exposto no Parque Solon de Lucena, para que os visitantes votem no seu preferido. A próxima etapa será uma outra exposição que engloba apenas os dez trabalhos mais bem votados. Essa acontecerá num shopping da Capital, onde os freqüentadores também votarão. O primeiro lugar vai ganhar uma bicicleta e o segundo colocado um aparelho de MP3.

O estudante da 8ª série Aderaldo Neto, de 13 anos e residente no Bairro dos Ipês, considera que o concurso será uma oportunidade de aprender a reutilizar o que é jogado no lixo e ajudar ao planeta. “As pessoas produzem muito lixo e se não tivermos a consciência de descartar apenas o que realmente não serve mais, daqui a pouco o mundo vai ser tornar um grande lixão. Em casa, eu já falo para minha mãe sobre a importância de separar o lixo orgânico do não-orgânico e tenho certeza que esse concurso vai me ensinar muito mais”, ressaltou Aderaldo.

Para a agente de limpeza Silvânia da Silva, essa pode ser uma oportunidade para as filhas aprenderem um ofício. “Minhas duas filhas, uma de 12 e a outra de 16 anos, estão inscritas no projeto. A mais velha já faz alguns objetos utilizando jornal e espero que com essas aulas ela comece a produzir ainda mais e possa vender no bairro. Será uma renda extra para a família”, disse.

O lançamento do projeto aconteceu na tarde desta terça-feira (23) no auditório do Paço Municipal, no Centro de João Pessoa. Na platéia, crianças e jovens, como idade entre 12 e 16 anos inscritos no projeto, agentes de limpeza e toda a equipe de educadores da Emlur. A solenidade foi aberta pela superintende do órgão, Laura Farias.

O evento contou também com uma palestra sobre educação ambiental, ministrada por Elma Xavier. Na oportunidade ela interagiu com o público, que aprendeu os direitos e deveres em relação ao meio ambiente, bem como a maneira correta de se armazenar o lixo para evitar a proliferação de doenças ocasionadas por insetos e animais como o rato que causa a leptospirose. “Do total de lixo produzido numa cidade, cerca de 16,20 % é composto de material reciclado. Por isso é importante despertar para a os três “R” da limpeza, que é reduzir, reutilizar e reciclar”, alertou Elma. As atividades foram encerradas com uma parte recreativa.