Emlur inspeciona o Rio Gramame e anuncia forte ação de limpeza

Por - em 26

Um rio coberto por uma substância oleosa e escura, plásticos, garrafas, restos de animais, grande quantidade de ‘água-pé’, vegetação flutuante e um leito cada vez mais estreito. Este foi o cenário de poluição e assoreamento encontrado no rio Gramame, durante uma visita que técnicos da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) fizeram nesta segunda-feira (1) ao corpo d’água. Os servidores, em companhia de pescadores, percorreram cerca de seis quilômetros de rio usando uma canoa para detectar os principais problemas e ainda traçar estratégias para minimizar o acúmulo do lixo. Ao final, ficou acerto que a Emlur vai executar uma forte ação de limpeza.

A viagem começa e a água já denuncia a poluição. Em vários trechos é possível ver uma substância oleosa de cor escura, que segundo os moradores da região vem das usinas. Nas margens esse resíduo se acumula em maior quantidade. Em vários trechos o rio vai ficando estreito, dificultando o acesso e o trabalho dos pescadores. A ‘água-pé’, tipo de vegetação que se desenvolve em águas poluídas, está presente em toda parte. Em meio à natureza, também pode ser vista a ação do homem que, além de usar o rio como fonte de renda e diversão, o degrada, jogando plásticos, garrafas e até restos de animais como galinhas e bois.

Durante o passeio, os pescadores relembraram um tempo de fartura e de belezas naturais. Severino Augusto Cabral de 59 anos, sendo 22 deles dedicados à pesca, relatou que no passado conseguia retirar uma grande quantidade de peixes do rio, mas que nos últimos tempos a realidade vem mudando. “Antes a gente vivia folgado aqui, mas agora só para comer já dá muito trabalho”, lamentou. “Eu já cheguei a retirar 20 quilos de plástico de dentro da água em apenas uma pescaria”, relatou.

Depois da visita, ficou acordado que a Emlur, em parceria com pescadores, deverá realizar uma ação de limpeza no corpo de água. A data ainda será definida. Na ação, deverão ser colocadas no rio redes de retenção, onde o lixo será retido e posteriormente recolhido. Também deverão ser realizadas ações de educação ambiental com pessoas que visitam e que sobrevivem do rio.