Emlur intensifica limpeza de ruas e calçadas após votação

Por - em 25

A Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) intensificou o serviço de varrição e catação para recolher o grande volume de material de campanha jogado nas ruas e calçadas da cidade na madrugada do domingo (3), dia da eleição. Para limpar a sujeira deixada por candidatos, a Emlur teve que redimensionar as equipes de limpeza para realizar o serviço. Cerca de 300 agentes estão percorrendo os principais corredores e os locais de votação para recolher milhares de santinhos, panfletos e papéis jogados por toda a cidade.

A ação de limpeza das ruas e dos locais de votação começou ainda no dia da eleição devido ao lixo nas ruas. Os agentes de limpeza vão realizar um trabalho contínuo para que a sujeira seja limpa o mais rápido possível. Para retirar o lixo eleitoral das ruas da Capital serão necessários pelo menos quatro dias, pois o trabalho não envolve apenas a varrição das ruas, mas a catação de papéis que ficaram presos nas gramas e arbustos dos canteiros e das praças.

A quantidade de panfletos impressionou o diretor de Operações da Emlur, Orlando Soares. “Esperávamos muita sujeira como é normal em todos os anos de eleição, mas não essa quantidade toda de papéis. Em alguns locais de votação a rua virou um tapete de papel. Podemos considerar isso uma falta de consciência e um desrespeito com o poder público, com a população, além de ser um crime ambiental”, disse.

A maior preocupação do diretor de Operações é que os milhares de santinhos, papéis e panfletos sejam carreados para as bocas de lobo e obstruam a rede de drenagem, causando transtornos caso chova. “Se chover nos próximos dias haverá um grande prejuízo para a população”, alertou Orlando Soares. Ele lembrou que o vento também contribui para espalhar ainda mais o lixo.

População não gosta – Entre as pessoas que saíram cedo de suas casas para votar, a reclamação era uma só: essa é uma das eleições onde há mais lixo eleitoral jogado pelas ruas da cidade, principalmente em frente aos locais de votação.

A dona de casa Severina Nóbrega Santos, que votou na sessão 94, da 64º Zona Eleitoral, no Colégio Estadual José Lins do Rego, no Cristo Redentor, reprovou a atitude dos candidatos que sujaram as ruas. É uma vergonha as ruas amanhecerem com tanta sujeira. Os candidatos que jogaram esse material já mostram que não têm compromisso nenhum com a nossa cidade. João Pessoa é limpa e essa grande quantidade de papel pode entupir os bueiros, provocando transtornos para os próprios moradores ”, enfatizou.

A direção da Emlur encaminhará relatório à Justiça Eleitoral mostrando o grande volume de lixo eleitoral deixando na cidade no dia da eleição. A intenção é pedir o apoio para evitar que ocorra a mesma situação no segundo turno da eleição, marcada para o dia 31 de outubro.